Tarcísio de Freitas (Republicanos) foi eleito governador do Estado de São Paulo, neste domingo (30), com 55,34% dos votos em 95,35% das urnas apuradas no território paulista. Seu adversário, Fernando Haddad (PT), alcançou até este momento 44,66% dos votos válidos. Em números, até essa porcentagem de apuração, 12.576.778 milhões de pessoas votaram em Tarcísio, enquanto 10.148.696 de paulistas votaram em Haddad.

Com 100% das urnas totalizadas em Rio Claro, Tarcísio obteve mais apoio com 74.477 votos, o que representa 67,80% dos votos. Haddad obteve 35.370 votos, o que dá 32,20%. Nulos chegam a 9.207 (7,43%), em branco 4.865 (3,93%). No total, foram válidos 109.847 votos. No primeiro turno, Rio Claro deu 58.351 votos, ou 56,72%, para Tarcísio, enquanto para Haddad foram 26.119 votos, ou 25,39%.

Ex-ministro de Infraestrutura, do Governo Jair Bolsonaro, Tarcísio de Freitas tem como vice-governador eleito, Felicio Ramuth (PSD), ex-prefeito de São José dos Campos (SP). O prefeito de Rio Claro, Gustavo Perissinotto (PSD) apoiou a candidatura de Tarcísio neste segundo turno, uma vez que no primeiro turno estava apoiando Rodrigo Garcia (PSDB), atual governador.

Tarcísio Gomes de Freitas é servidor público de carreira, 47 anos, é formado pela Academia Militar das Agulhas Negras (Aman) e graduado em engenharia no Instituto Militar de Engenharia. Fez parte da missão de paz da Organização das Nações Unidas (ONU) no Haiti. Trabalhou nas áreas de infraestrutura e investimento, foi presidente do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), e ministro da Infraestrutura.

Haddad, de 55 anos, é professor universitário e cientista político. É formado em direito pela Faculdade do Largo São Francisco e doutor em filosofia. Leciona ciência política na Universidade de São Paulo (USP). Foi ministro da Educação e prefeito de São Paulo. É casado com Ana Estela Haddad e pai de dois filhos. A vice na chapa foi a diretora escolar Lucia França.

A sua assinatura é fundamental para continuarmos a oferecer informação de qualidade e credibilidade. Apoie o jornalismo do Jornal Cidade. Clique aqui.

Mais em Política:

PEC da Transição pode ser votada pelo Plenário na quarta-feira

Refis: emenda ‘bloqueia’ empresas por três anos