Um registro do mundo animal foi feito no campus da Unesp de Rio Claro na madrugada da última segunda-feira (12), por volta da 1h30.

Câmeras de segurança flagraram um “passeio noturno” de um tamanduá em uma das ruas no interior do terreno da universidade, na Bela Vista.

No registro, enviado ao JC por um docente da Unesp, é possível ver que provavelmente se trata de um tamanduá-mirim.

Sobre o animal

O tamanduá-mirim (nome científico:Tamandua tetradactyla), também chamado tamanduá-colete, jaleco, melete ou mixila, é um mamífero xenartro da família Myrmecophagidae, sendo encontrado da Venezuela ao sul do Brasil. É uma das quatro espécies de tamanduás e junto com as preguiças está incluído na ordem Pilosa. São reconhecidas quatro subespécies. É um animal arborícola e pode ter até 105 cm de comprimento. É reconhecido principalmente por um padrão de pelagem que faz com que pareça que ele usa um colete preto, apesar de que essa coloração pode variar, com indivíduos totalmente pretos ou marrons.

FONTE: https://www.projetopiracanjuba.org.br/galeria/tamandua-mirim/126

A sua assinatura é fundamental para continuarmos a oferecer informação de qualidade e credibilidade. Apoie o jornalismo do Jornal Cidade. Clique aqui.

Mais em Dia a Dia:

Nove estados anunciam Lei Seca para domingo

Aneel mantém bandeira tarifária verde para outubro