Nível do Ribeirão Claro está 10 centímetros mais baixo em relação ao mesmo período de 2023

Níveis dos rios estão mais baixos comparados com o mesmo período de 2023. Momento crítico requer a colaboração de toda a população para fazer o uso sem desperdícios da água

Sem chuvas desde abril, a estiagem causa preocupação em relação ao fornecimento de água.

Atento às questões de escassez hídrica, o Daae (Departamento Autônomo de Água e Esgoto) de Rio Claro faz diariamente o monitoramento das condições e volume dos nossos mananciais e verificou que os níveis dos rios estão mais baixos comparados com o mesmo período de 2023, classificando a situação em alerta hídrico.

No Ribeirão Claro, onde é captada água bruta para a Estação de Tratamento de Água (ETA 1) para abastecimento de 40% da cidade, a verificação é por régua e o nível está 10 centímetros mais baixo em relação ao mesmo período do ano passado.

No rio Corumbataí, onde é captada a água para a ETA 2 para abastecer os outros 60% do município, a verificação é por telemetria e a vazão está em 1.800 litros por segundo, já tendo atingido a marca de 1.600 litros por segundo. 

Nível do rio Corumbataí está 50% mais baixo em relação ao mesmo período do ano passado

No mesmo período do ano passado, a vazão era de 3.200 litros por segundo, ou seja, atualmente, este rio está 50% mais baixo.

Com estiagens cada vez mais severas e longas, é necessário estabelecer novos hábitos, evitando desperdícios para preservar os mananciais e garantir o abastecimento em momento de crise hídrica mundial.

“A estiagem costuma durar até outubro ou novembro. Agora é momento da colaboração de toda a população de Rio Claro e é fundamental fazer o uso consciente da água, sem desperdícios”, alerta o superintendente do Daae, Sergio Ferreira.

Lavar calçadas com mangueira é uma das ações que mais consomem água de maneira desnecessária. Apenas um minuto com a mangueira aberta consome 18 litros, ou seja, em 15 minutos, são desperdiçados cerca de 270 litros de água. 

Nesse tipo de situação, o Daae orienta que as limpezas sejam feitas apenas com vassouras ou baldes, para evitar desperdícios.

“O cenário é crítico e alarmante. Por isso, precisamos mudar nossos hábitos imediatamente”, enfatiza o superintendente.

O Daae ressalta que praticar o uso consciente não significa deixar de usar a água, mas sim, repensar as suas formas de uso. Evitar desperdícios e reduzir o consumo são atitudes que além de poupar água potável do planeta e ajudar a preservar os mananciais, é uma forma de economizar com a conta de água.

Mais em Dia a Dia:

Sobrevivente de Orpinelli refaz a vida e lança projeto

Chega às bancas a nova JC Magazine