Foto – Redes sociais

Folhapress/ Vinícius Rangel

Os moradores de Santa Leopoldina (ES) acordaram assustados com os barulhos de tiros e bombas na cidade. Três agências bancárias foram atacadas na madrugada desta sexta (30), em uma ação no estilo do “novo cangaço”. Os criminosos conseguiram escapar com dinheiro roubado dos bancos invadidos.

A noite de terror começou por volta da 1h30, quando os moradores começaram a ouvir disparos e em seguida explosões no Centro da cidade. Os tiros foram ouvidos a uma distância de cerca de 1 km, segundo testemunhas que chegaram a colher cápsulas de diversos calibres na região atingida.

A ação criminosa começou na cidade de Barra do Mangaraí, a cerca de 12 quilômetros do município alvo. Segundo a Polícia Civil, os bandidos renderam um caminhoneiro e o fizeram refém. Durante o trajeto, a gangue derrubou árvores e bloqueou a principal rodovia que dá acesso à cidade.

Um módulo do DPM (Destacamento de Polícia Militar) chegou a ter o seu acesso bloqueado. De acordo com a PM, um caminhão foi colocado atravessado na pista e os pneus de duas viaturas chegaram a ser furados antes mesmo do ataque principal, para evitar que os agentes impedissem o assalto.

Os PMs ainda foram alvos de disparos dentro do DPM e, assim, ficaram impedidos de saír do local.

Ninguém ficou ferido. Os agentes conseguiram acionar os policiais do BME (Batalhão de Missões Especiais) para intervir na situação. Já o caminhoneiro foi abandonado no centro.

BOMBAS E TIROS

A quadrilha usou bombas de dinamites para atacar as agências bancárias e conseguiu fugir do local levando uma quantia em dinheiro, ainda não divulgada pela Polícia Civil.

A PM encontrou na cidade de Viana, região metropolitana de Vitória, dois carros -um deles incendiado – que seriam dos criminosos.

“A Polícia Civil já começou uma investigação com apoio da Polícia Federal. Pela manhã encontramos os carros. A perícia está levantando informações para confirmar se foram utilizados pelos criminosos com ajuda do cerco inteligente de videomonitoramento”, disse o secretário Márcio Celante, à reportagem.

‘NOVO CANGAÇO’

Pelo menos 12 pessoas fortemente armadas teriam participado do ataque na cidade serrana, que costuma ser pacata com seus poucos mais de 12 mil habitantes. O estilo da ação criminosa foi comparado pelo secretário estadual de segurança pública, Márcio Celante, com outros do “novo cangaço”.

O nome remete às ações realizadas por gangues em 1990. Na época os bandidos que tinham armas de grosso calibre atacavam pequenas cidades para roubar bancos e artigos de luxo no sertão nordestino.

Após os primeiros disparos em Santa Leopoldina, testemunhas começaram a fazer gravações dos tiros e explosões. Em um dos vídeos é possível ver pelo menos quatro homens armados. Ruas chegaram a ser fechadas com os próprios carros do bando.

“No Espírito Santo temos poucos registros, o último foi em 2018. A nossa linha de investigação é pedir ajuda de informação às Secretarias de Segurança Pública de Minas Gerais e Bahia, para identificar e confirmar a possibilidade de participação de criminosos vindos desses dois estados”, afirmou Celante.

As agências devem passar por perícia na tarde desta sexta.

A sua assinatura é fundamental para continuarmos a oferecer informação de qualidade e credibilidade. Apoie o jornalismo do Jornal Cidade. Clique aqui.

Mais em Dia a Dia:

Alerta: homem morre vítima de Covid em Rio Claro

10º Baep realiza treinamento de ‘atirador designado’

Refis: emenda ‘bloqueia’ empresas por três anos