Adriel Arvolea

Espaço destinado ao lazer e recreação da comunidade está condenado ao abandono e à falta de manutenção
Espaço destinado ao lazer e recreação da comunidade está condenado ao abandono e à falta de manutenção

Por muitos anos, o Centro Comunitário do Jardim das Flores, localizado na Rua 9 entre as avenidas M-51 e M-53, esteve abandonado. Mais recentemente, a área foi dividida e parte do prédio é ocupada com as instalações do Educandário Santa Maria Goretti. A outra, composta pelas quadras, permanece sem cuidados e manutenção.

O espaço cedido pela prefeitura à entidade, que atende cerca de 40 crianças e adolescentes, é em regime de comodato, para que fosse transformado em sua sede. Na área reservada ao lazer e recreação da comunidade, a quadra de cimento oferece condições para a prática de futebol e basquete, mesmo que de forma precária. Já no campo de areia há blocos de concreto que foram quebrados da mureta que cerca o local, além do mato e sujeira.

Em julho de 2013, o Jornal Cidade denunciou as condições do Centro Comunitário. À época, logo na entrada do prédio, percebia-se o estado de abandono. Lixo e entulho estavam acumulados no que seria o jardim principal do espaço. As paredes do prédio estavam pichadas e depredadas; infiltrações comprometiam o teto. Uma das salas existentes foi transformada em dormitório por moradores de rua.

Na ocasião, a Secretaria Municipal de Ação Social e a Secretaria Municipal de Esportes informaram que iriam se reunir com duas entidades que solicitavam o espaço do Centro Comunitário para o desenvolvimento de projetos sociais. As propostas, que envolviam a cessão de uso do espaço, estavam sendo estudadas.

Na opinião do morador Henrique Feitosa, é importante que a prefeitura invista no esporte e lazer em prol do bairro. “O Flores é uma região carente. O espaço que compreendia o Centro Comunitário era bom, mas acabou perdendo seu valor. De um lado, a prefeitura não o manteve. Do outro, parte da comunidade acabou vandalizando e depredando a estrutura. Que a administração invista na recuperação da área, para que crianças e jovens possam ter um local adequado para se divertir”, comenta Feitosa.

Social

Comunidades carentes dependem de investimentos nas áreas social e esportiva, contemplando uma parcela da população que requer incentivos e ações para o seu próprio desenvolvimento pessoal. A reivindicação dos munícipes é para que haja benfeitorias nesta área tão carente do bairro, oferecendo opções de lazer e bem-estar aos moradores. Como investimentos na área social, o esporte e o lazer são ferramentas de inclusão nas regiões carentes. Ao invés da ociosidade, crianças e jovens têm a possibilidade de sair para as ruas de modo a praticar atividades físicas e o caminho do esporte.

Prefeitura

Consultada sobre a previsão de investimentos para a área e, também, as condições atuais de funcionamento do Educandário Santa Maria Goretti, a diretoria de Comunicação da prefeitura não se manifestou sobre o assunto.

A sua assinatura é fundamental para continuarmos a oferecer informação de qualidade e credibilidade. Apoie o jornalismo do Jornal Cidade. Clique aqui.

Mais em Notícias:

Pharoah Sanders, saxofonista e lenda do jazz, morre aos 81 anos

Cresce número de crianças registradas por mães solo

JC nas Eleições debate dificuldade para Rio Claro eleger deputados