Prefeitura desmente boatos sobre suposta paralisação nas obras do Museu

70

Carine Corrêa

Munícipes que observam andamento das obras dizem que trabalhos estão sendo executados apenas três vezes por semana
Munícipes que observam andamento das obras dizem que trabalhos estão sendo executados apenas três vezes por semana

Questionada sobre uma suposta paralisação nas obras do Museu Amador Bueno da Veiga – que sofreu um grande incêndio em junho de 2010 -, a Prefeitura de Rio Claro afirmou que a informação não procede. “No momento, a restauração do museu está em uma fase mais artesanal, com a colocação da cimalha (espécie de moldura que proporciona um arremate no alto da parede externa do prédio, para dar acabamento ao beiral do telhado)”, informou por meio da assessoria de imprensa.

Quem acompanha de perto o andamento das obras rebate e diz que o ritmo é de lentidão. Rafaela Peixoto, que trabalha em frente ao museu, revela que os funcionários estão trabalhando nas obras apenas três vezes por semana. “Segunda-feira geralmente não tem ninguém. Quando tem, na maioria das vezes, são dois funcionários”, denuncia a jovem.

Francisco Pieradozzi também observa que o ritmo está devagar. “No período da eleição, eles aceleraram e deram um melhor acabamento na fachada do museu”, analisou. Rosemari Lautenchlaeger comenta que, mesmo com a liberação parcial da Rua 7, o trânsito ainda é comprometido com as obras. “Não houve liberação total, o que torna possível apenas a formação de uma fila de carros”, disse.

Em abril deste ano, o governo municipal afirmou que a previsão da entrega da obra de restauração do museu era para o segundo semestre. Para isso, a prefeitura obteve mais de R$ 4 milhões do governo federal, a fundo perdido, ou seja, trata-se de dinheiro que não precisa ser devolvido.

Acervo

Segundo a municipalidade, mais de 90% do acervo do museu foi preservado, uma vez que não estava no prédio quando houve o incêndio. O material já havia sido transferido para prédio na Rua 1, entre Av. 2 e 4.

Qual sua opinião? Deixe um comentário: