Lusa faz segundo jogo em casa e joga pelo empate; Rio Claro precisa vencer por dois gols para subir de forma direta.

FEDERAÇÃO PAULISTA DE FUTEBOL

Em partida bastante equilibrada neste sábado (2), a Portuguesa venceu o Rio Claro, por 1 a 0, no estádio Augusto Schimidt Filho, em Rio Claro, pelo confronto de ida da semifinal do Paulistão A2. O único gol da partida foi marcado pelo experiente Luan no segundo tempo.

Os times voltam a se enfrentar no próximo sábado, dia 9, desta vez no estádio do Canindé, em São Paulo. A Portuguesa jogará por simples empate para avançar a final e consequentemente garantir o acesso à elite. Já o Rio Claro terá que vencer por dois gols de diferença para subir. Em caso de vitória por um gol de diferença para o time de Rio Claro, a decisão acontece nos pênaltis.

Os primeiros 45 minutos foram de um confronto bastante equilibrado e com poucas chances de gol. A melhor chance foi criada pela Portuguesa, logo aos nove minutos, quando Eduardo Diniz cruzou da esquerda e encontrou Caio Mancha, que cabeceou no travessão e perdeu a chance de abrir o placar.

Após o susto, o Rio Claro encaixou a marcação e neutralizou a Portuguesa. Melhor em campo, o time da casa assustou aos 21 minutos, quando Felipe Pará tabelou com Bruno Moraes e a bola sobrou para o meia Diego, que arriscou de fora da área e obrigou o goleiro Thomazella a se esticar todo e mandar para a linha lateral.

Antes do intervalo, o Rio Claro manteve a posse de bola e voltou a colocar o goleiro da Portuguesa para trabalhar. Aos 41, Bruno Moraes fez a parede dentro da área e ajeitou para Thiago Rubim finalizar em cima do goleiro. Ele defendeu no susto e em seguida a defesa afastou o perigo da área.

No segundo tempo, o Rio Claro voltou com postura ofensiva e criou duas boas chances de sair na frente. Aos três, Bruno Moraes girou sobre a marcação e finalizou em cima do goleiro Thomazella. E aos nove minutos novamente Moraes chutou e parou no arqueiro da Portuguesa, num duelo a parte no Schimidtão.

Após os sustos, a Portuguesa respondeu aos 11 minutos, em cobrança de escanteio de Daniel Costa em que o goleiro Victor Golas foi mal e viu a bola tirar tinta da trave, saindo pela linha de fundo.

Em seguida, a Portuguesa abriu o placar. Aos 23 minutos, Caio Mancha ganhou disputa de bola e tocou para Luan, que entrou na área e finalizou rasteiro, no fundo das redes. O detalhe é que o jogador havia acabado de entrar em campo no lugar de Cesinha.

A Portuguesa administrou a vantagem, mas poderia ter se complicado a partir dos 36 minutos, quando o lateral Eduardo Diniz agrediu Magno com chute e acabou sendo expulso de campo. A principio ele levou apenas o amarelo, mas após revisão do VAR a arbitragem decidiu pelo vermelho.

Mesmo com um homem a menos, a Portuguesa segurou a vitória e garantiu a vantagem para o confronto de volta, no Canindé.

A sua assinatura é fundamental para continuarmos a oferecer informação de qualidade e credibilidade. Apoie o jornalismo do Jornal Cidade. Clique aqui.

Mais em Esportes:

Zé Boquinha, um ídolo rio-clarense