Morreu neste domingo (30), na Santa Casa de Limeira, Bruno Adriano Fernandes Pereira, de 33 anos. O homem é o esposo acusado de ter matado Jaqueline Gomes Fratini, que morreu nesta semana após dias de internação por ter tido 100% do corpo queimado após o companheiro ter ateado fogo nela, segundo a Polícia Civil. Bruno foi atingido em 65% do corpo pelas chamas. O esposo de Jaqueline foi velado e sepultado no fim da tarde deste domingo no Cemitério Municipal “São João Batista”.

O crime aconteceu na quarta-feira da semana passada, dia 19 de outubro, quando Jaqueline Gomes Fratini, de 32 anos, foi incendiada pelo marido após uma briga do casal. Dias após a agressão, na terça-feira (25), a mulher morreu na Santa Casa de Limeira. A ocorrência foi registrada pela Polícia Militar, que disse ter havido uma briga entre o casal e, na sequência, o homem ateou fogo na esposa utilizando gasolina.

Uma testemunha relatou que ouviu a mulher e a criança pedindo por socorro e decidiu acionar os serviços de emergência, na sequência a testemunha visualizou fumaça saindo da residência, momento em que adentrou o local juntamente com outros vizinhos, que se depararam com o autor tentando se evadir pelo telhado da casa. Em contato com a criança, a equipe recebeu informações de que o casal estava discutindo e, em seguida, o seu padrasto tirou gasolina de uma motocicleta que estava na garagem e ateou fogo em sua mãe. Na tentativa de ajudá-la, o menor acabou sofrendo queimaduras nas pernas.

A sua assinatura é fundamental para continuarmos a oferecer informação de qualidade e credibilidade. Apoie o jornalismo do Jornal Cidade. Clique aqui.

Mais em Segurança:

Morre, aos 60 anos, o GCM Geraldo que lutava contra um câncer

Concluída 1ª etapa da obra na rotatória da Avenida 32