DANIEL E. DE CASTRO – SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS)

Gerson Victalino, jogador de basquete que mais vezes vestiu a camisa da seleção brasileira nas grandes competições (foram 63 em Olimpíadas, Mundiais e Jogos Pan-Americanos), morreu na madrugada desta quarta-feira (29), em Minas Gerais, aos 60 anos.

Ele sofria de esclerose lateral amiotrófica (ELA), doença do sistema nervoso que causa paralisia progressiva dos músculos.

“Como sempre fez em quadra, nunca se entregou e fazia planos para os próximos anos. A Confederação Brasileira de Basketball [CBB] agradece mais uma vez pelo amor com que Gerson se entregava ao esporte e por todos os anos defendendo a camisa do Brasil. Força aos familiares e nossos pêsames”, escreveu a entidade em nota.

Gerson começou no basquete aos 18 anos e fez sua estreia como profissional em 1979, pelo clube Ginástico, em Minas Gerais. Iniciou sua trajetória na seleção brasileira em 1981 e defendeu o país em três Olimpíadas (Los Angeles-1984, Seul-1988 e Barcelona-1992).

Sua maior glória esportiva com a equipe nacional foi nos Jogos Pan-Americanos de 1987, quando a geração comandada por Oscar e Marcel bateu os Estados Unidos em Indianapolis.

O pivô defendeu ainda Monte Líbano, Corinthians, Lençóis Paulista, Jales, Manresa-ESP, Sport-PE e Remo, onde se aposentou em 2002.

No início do ano, ao ser homenageado pela CBB, ele falou sobre sua luta contra a doença: “Passo por um problema temporário. Sei da gravidade, mas também sei que as lutas vêm na nossa vida para lutarmos e mostrarmos nossas forças”.