Breno Macedo, Marcos Macedo, Nazaré, Jhonatan Conceição, Daniel Lucas e Camilinha.

Há 18 anos nascia em Rio Claro, através de um projeto social comandado pelo professor Marcos Macedo, a academia MM Boxe, com o objetivo de buscar a excelência no boxe Olímpico, obtendo resultados positivos a nível regional, estadual, nacional e internacional e colocar a modalidade em evidência.

A primeira aluna da academia foi Nazaré dos Reis Brito, faixa-preta em Karatê, em 2002, que resolveu treinar boxe com Marcos Macedo. Um ano depois, quando a academia se instalou nos antigos galpões da FEPASA, a guarda municipal marcou história logo na primeira competição e tornou-se a primeira atleta rio-clarense a participar de competições oficiais no boxe e a ser campeã paulista de boxe feminino em Itapira.

Nazaré e Marcos Macedo

“É muito emocionante relembrar, mexe muito comigo. Eu praticava Karatê e Jiu-Jítsu, mas cada modalidade tem a sua característica e pra mim uma completava a outra. Todas ajudaram a construir meu caráter e sou muita grata por ter feito parte da história da MM Boxe”, disse Nazaré.

2007 foi mais um ano marcante para a academia, a equipe conquistou a terceira colocação coletiva na Forja de Campeões, uma das competições mais tradicionais da modalidade. A equipe contava com os atletas Leonardo (campeão) e Breno Macedo (vice-campeão). No ano seguinte, mais uma grande conquista: o título de Campeão Brasileiro de Base, com Kid Caíque Silvano, que um ano depois seria convocado para a Seleção Brasileira.

Ainda em 2009, Breno Macedo conquistou o único ouro nos Jogos Abertos para a cidade de Rio Claro.

O ano de 2010 foi marcante para a academia, Jhonatan Conceição, revelado pela MM Boxe em 2003, conquistou o título nacional pela primeira vez. O boxeador seria campeão quatro vezes consecutivas.

“A MM Boxe me formou não só como atleta, mas como homem. Eu não tive pai então, me inspirei e tive nos meus treinadores uma referência para chegar até aqui”, declarou Jhonatan.

“A MM Boxe me formou não só como atleta, mas como homem. Eu não tive pai, então me inspirei e tive em meus treinadores a melhor referência para chegar até aqui”, Jhonatan Conceição.

Com o passar do tempo e novos talentos surgindo, as conquistas só aumentaram. Em 2011 o boxe de RC foi campeão coletivo dos Jogos Abertos; em 2012 – primeira participação de um rio-clarense no Mundial do boxe: AIBA World Youth Championship, Armênia; em 2015 – primeiro intercâmbio internacional da MM Boxe, no México. Pelos próximos anos aconteceram intercâmbios para Itália (2016 e 18) e Argentina (2017); em 2018, o atleta rio-clarense Baby Bull Belini foi campeão continental juvenil nos Estados Unidos e Leonardo Macedo foi convocado para ser treinador da seleção brasileira.

O conquista mais recente foi em 2019, nos Jogos Pan-Americanos de Lima, com a medalha de prata da rio-clarense Jucielen Cerqueira, revelada pelo projeto social da academia no Jardim Guanabara.

“Quando começamos, o objetivo era tirar as crianças das ruas, mas as coisas foram acontecendo e os talentos aparecendo. Sempre pensamos no lado social, em ajudar ao próximo e os resultados são consequência disso tudo e do trabalho bem feito realizado por todos”, disse o professor Marcos Macedo.

Desde criança, com o pai Breno Macedo e Leonardo Macedo, os três fizeram parte da construção da MM Boxe e ressaltam a importância do boxe e da academia em suas vidas.

“A MM começou na minha vida quando eu tinha 14 anos de idade. Em 2020 eu completo 17 anos trabalhando neste espaço. Ou seja, tenho mais tempo de vida dentro da MM Boxe do que fora dela. Portanto, não consigo imaginar minha vida sem essa equipe, é parte de mim”, afirmou Breno Macedo.

“A MM Boxe surgiu do zero e, em menos de 10 anos de atividades, levou boxeadores de Rio Claro às conquistas mais importantes do Brasil e do mundo. Hoje Rio Claro é referência em boxe de qualidade e essa marca veio após anos de trabalho, conquistas e resultados. Tenho muito orgulho dessa trajetória do boxe rio-clarense”, disse Leonardo Macedo.

“Sempre quis treinar boxe, e aqui estou tendo a oportunidade de realizar esse desejo, sonhar e me tornar uma campeã”, Camila Amorin Silva – 12 anos
“A MM Boxe é minha vida. Vivo com ela e o boxe, que me fizeram um ser humano muito melhor”- Daniel Lucas – Gaguinho.

A sua assinatura é fundamental para continuarmos a oferecer informação de qualidade e credibilidade. Apoie o jornalismo do Jornal Cidade. Clique aqui.

Mais em Esportes:

Tabu é mantido no dérbi e clássico chega a cinco jogos sem vencedor

Velo Clube e Rio Claro FC empatam em dérbi no Benitão

AE Velo Clube e Rio Claro FC disputam dérbi