Na última quinta-feira (20), a Delegacia de Investigações Gerais de Limeira deflagrou uma operação no âmbito de investigação que identificou e produziu provas sobre a autoria, materialidade e circunstâncias do homicídio que vitimou Maiara Fernanda da Silva Valerio, cujo cadáver foi encontrado na área rural de Limeira com severo ferimento no crânio.

Maiara desapareceu no início do mês de setembro de 2022 e seu corpo foi deixado por membros do PCC em um canavial, encontrado por um terceiro no dia 25 de setembro de 2022.

Apurou-se que a vítima tinha sido levada para um “julgamento” pelo tribunal paralelo no início do ano, na cidade de Mogi Mirin, onde lhe foi concedida um prazo, já que estava grávida. Com a perda do filho por meio de um aborto, os membros da Organização Criminosa a mataram, cumprindo a “sentença” estabelecida pela facção criminosa.

Dos quatro mandados de prisão temporária expedidos três foram cumpridos com êxito, tendo sido preso, inclusive, o chefe do tráfico de drogas do bairro Ernesto Khul em Limeira e principal suspeito de ordenar a morte de Maiara.

A operação contou com o apoio da Força Tática da Polícia Militar de Limeira e da Guarda Civil Municipal.

A sua assinatura é fundamental para continuarmos a oferecer informação de qualidade e credibilidade. Apoie o jornalismo do Jornal Cidade. Clique aqui.

Mais em Segurança:

Morre, aos 60 anos, o GCM Geraldo que lutava contra um câncer

Concluída 1ª etapa da obra na rotatória da Avenida 32