Foto – Reprodução

Folhapress

Na mesma conversa em que se relata que ladrões teriam devolvido o celular e dinheiro subtraído via Pix de Cynthia Gigliolli Herbas Camacho, esposa de Marcola, apontado pela polícia e a Justiça como líder do PCC (Primeiro Comando da Capital), o detento mostrou preocupação com sua aparência.

Em gravação divulgada pelo “Fantástico”, da TV Globo, ele pergunta sobre seus cabelos branco à esposa e diz que ninguém lhe diz “a verdade”.

Na conversa, monitorada pela polícia por suspeita de um plano para a fuga de Marcola, ele pede à esposa que seja sincera sobre a aparência. Marcola completou 54 anos em janeiro. Ele está condenado a mais de 300 anos de prisão.

“Não, fala a verdade. Aqui [sinalizando para a região em que estava crescendo fios brancos], né? Envelheci bastante? Ninguém me fala a verdade, sabe?”, afirma o detento.

Ela insiste que está falando a verdade ao marido. “Não, eu tô falando a verdade. Não tá muito branco, não”, diz Cynthia. Ele então responde:”Mas e meu rosto, como é que tá? Fala a verdade. Eu não quero ser iludido, entendeu?”.

Na matéria exibida pela emissora, ele diz estar “lutando” para sair da cadeia e que não desistirá disso.

“Enquanto eu tiver vida e tiver respirando, pode ter certeza que eu vou estar lutando para sair daqui, entendeu? É que eu não posso falar um monte de coisa aqui, mas minha vida é lutar pra sair daqui”.

OPERAÇÃO ANJOS DA GUARDA

Na semana passada, a casa da família de Marcola, na Grande São Paulo, foi um dos alvos de uma operação deflagrada pela Polícia Federal para desarticular o plano de resgate de criminosos em penitenciárias federais de Brasília e Porto Velho (RO).

Batizada de Anjos da Guarda, a operação da PF mobilizou 80 policiais para cumprir 11 mandados de prisão preventiva e 13 mandados de busca e apreensão em Brasília, Campo Grande e Três Lagoas (MS), São Paulo, Santos e Presidente Prudente (SP).

Além de Marcola, a facção criminosa planejava resgatar Cláudio Barbará da Silva e Valdeci Alves do Santos, o Colorido. O grupo também pretendia sequestrar autoridades para conseguir a soltura de detentos, disse a PF.

As advogadas Juliana de Araújo Alonso Mirandola e Simone Alonso foram presas em Presidente Prudente (SP). Simone é esposa de Cláudio Barbará, um dos líderes do PCC preso em Brasília.

A sua assinatura é fundamental para continuarmos a oferecer informação de qualidade e credibilidade. Apoie o jornalismo do Jornal Cidade. Clique aqui.

Mais em Dia a Dia:

“Dengue 100 Dúvidas” é lançado pelo Governo de SP

Idoso desaparecido em Anápolis (GO) é localizado em Rio Claro

Escola infantil Vô Chico promove caminhada contra a dengue