O rio-clarense Felipe Cicolin Vitte, de 19 anos, foi aprovado na última segunda-feira (13) para estudar Relações Internacionais com ênfase em Inteligência Artificial na Universidade de Harvard, nos Estados Unidos.

Felipe irá se somar aos 1.937 alunos aprovados na universidade no ano de 2024. Os alunos vêm de 95 países diferentes e foram apenas alguns dos mais de 50 mil inscritos no processo seletivo, que teve uma taxa de aceitação em torno dos 3%.

No que se tem registro, Felipe é o primeiro rio-clarense nos 193 anos da cidade a conseguir uma vaga na prestigiosa universidade.

Considerada uma das melhores universidades do mundo, Harvard é conhecida por sua excelência acadêmica, pesquisa de ponta e um corpo docente composto pelos melhores profissionais de suas áreas. Fundada em 1636, é a instituição de ensino superior mais antiga dos Estados Unidos e tem um histórico de formar líderes globais, incluindo oito presidentes dos Estados Unidos (a maior quantidade de qualquer universidade), 150 vencedores do Prêmio Nobel e vários outros profissionais de influência. A universidade também tem recursos financeiros abundantes: no ano de 2023, seu orçamento foi de 5,9 bilhões de dólares, ou cerca de 30,4 bilhões de reais.

Felipe, que está no terceiro semestre de Relações Internacionais na Escola Superior de Propaganda e Marketing, em São Paulo, foi aceito para o programa “Harvard Visiting Undergraduate Student”, ou “Estudante de Graduação Visitante de Harvard”. O programa oferece a oportunidade para estudantes de outras instituições estudarem um ano ou semestre na faculdade, mas tem poucas vagas e é muito concorrido por alunos de várias universidades espalhadas pelo mundo.

O rio-clarense já tem em seu currículo outras conquistas importantes, como a realização de cursos de inteligência artificial na França e pela Universidade de Oxford, ambos com nota máxima, e uma palestra na maior conferência de construção civil do mundo em Las Vegas no ano de 2022. Também é pesquisador no Grupo de Estudos sobre a China (GECHINA), da Universidade de Brasília, e ocupa posições de importância no Diretório Acadêmico Guerreiro Ramos (DAGR) e no Laboratório de Monitoramento da Agenda no Legislativo (Legislab), ambos na ESPM (onde também fundou duas novas entidades, uma dedicada a simulações da ONU (ESPMUN), e o primeiro jornal estudantil da faculdade).

Além disso, Felipe também é consultor da ONG Ponteduca e jornalista credenciado pela Federação Nacional de Jornalistas. O rio-clarense escreve colunas de relações internacionais para este veículo e para o Jornal Cidade de Rio Claro.

Antes de embarcar para Boston, cidade vizinha de Harvard, Felipe ainda fará um intercâmbio com bolsa de estudos na Universidade Estadual da Califórnia, em Los Angeles, no mês de julho, onde estudará liderança disruptiva.

A sua assinatura é fundamental para continuarmos a oferecer informação de qualidade e credibilidade. Apoie o jornalismo do Jornal Cidade. Clique aqui.

Mais em Dia a Dia:

Sobrevivente de Orpinelli refaz a vida e lança projeto

Chega às bancas a nova JC Magazine