FAROL JC – POR LUCAS CALORE
O projeto mais ambicioso anunciado até o momento pelo prefeito Gustavo Perissinotto (PSD) para o setor da saúde pública em Rio Claro é a construção do Hospital-Dia do Cervezão. Ao longo dos últimos dias, o JC e a coluna Farol vêm repercutindo debates acalorados sobre a obra que ainda nem saiu do papel, mas que já tem gerado polêmica nos bastidores. À medida que a probabilidade de o primeiro tijolo ser colocado nas dependências do Pronto-Atendimento da Rua M-9 aumenta, já que o projeto executivo está em vias de ser entregue à Prefeitura Municipal, cresce também a percepção de que o empreendimento será a galinha dos ovos de ouro da gestão de Perissinotto logo em 2024, ano eleitoral e o último do atual mandato.

O coringa chegará num momento de grandes discussões sobre o legado que a administração tem empregado desde que assumiu o poder público em 2021. Ainda que – talvez – não tenha sido programado para ser entregue, de fato, para o último ano de governo, o fato é que, caso a ordem de serviço seja assinada pelo prefeito Gustavo para que a obra seja viabilizada, o seu prazo estimado é de 14 meses. Considerando que estamos em outubro e há a burocracia natural de qualquer licitação, acaba ficando para 2024 a entrega da obra – claro, considerando que não haverá nenhum entrave na execução.

Isso, inclusive, é um risco. Morosidades em construções também não comuns. Em pleno ano eleitoral, a possibilidade de a obra atrasar e ficar para 2025 não deve ser descartada. Com isso, a dúvida que começará a pipocar, como sempre acontece no meio político, será: quem é o pai da criança? Será preciso empenho do atual chefe do Poder Executivo em ser reeleito para inaugurar o Hospital-Dia que encabeçou ao lado da presidente da Fundação Municipal de Saúde, Giulia Puttomatti.

Governos anteriores prometeram o estabelecimento, vide o ex-prefeito Du Altimari (MDB) – gestão a qual, inclusive, Perissinotto integrou como secretário municipal de Negócios Jurídicos na época. A obra não saiu do papel. Já na gestão de Gustavo, houve notório esforço para que o plano de governo acontecesse. Um convênio com o Claretiano – Centro Universitário foi assinado e, através da Faculdade de Medicina, o projeto executivo foi contratado. O documento está em vias de ser finalizado e entregue ao prefeito.

A ideia é construir o Hospital-Dia nas dependências do Pronto-Atendimento do Cervezão e ofertar 60 leitos de baixa e média complexidade. Há alguns dias, o próprio prefeito criticou a administração de João Teixeira Junior, o Juninho, por ter reservado e entregue um grande terreno no Parque Mãe Preta para o Movimento Pró-Hospital Público Regional. A área estará nas mãos da entidade até o início de 2023. Gustavo, porém, disse que não há projeto para utilização do local. O ex-prefeito rebateu, dizendo que a pandemia atrasou os planos.

A expectativa é alta para a atual gestão inaugurar o Hospital-Dia e logo colocá-lo para funcionar. Com a construção, espera-se uma maior resolutividade nas unidades de urgência e emergência, o que consequentemente pode melhorar também a atenção de saúde básica nas unidades dos bairros. A saúde sempre vai ser o calcanhar de Aquiles de qualquer governo. Tratando-se de ano eleitoral, as promessas são muitas – quem se lembra da história de acabar com o Carnaval para investir na saúde? E, tratando-se de Rio Claro, uma reviravolta é sempre esperada. Aguardemos.

A sua assinatura é fundamental para continuarmos a oferecer informação de qualidade e credibilidade. Apoie o jornalismo do Jornal Cidade. Clique aqui.

Mais em Dia a Dia:

Fim de semana com diversidade climática em Rio Claro

Alunos fazem passeata contra a dengue no Grande Cervezão