A Fundação Florestal, órgão responsável pela gestão da Floresta Estadual ‘Edmundo Navarro de Andrade’, em Rio Claro, confirmou nessa quinta-feira (25) que fará um investimento de R$ 3,3 milhões em obras para recuperação da unidade de conservação. Trata-se de uma articulação realizada em maio deste ano no Governo do Estado de São Paulo junto com a Prefeitura, a Câmara Municipal e o Ministério Público.

Segundo informou à reportagem do Jornal Cidade, a Câmara de Compensação Ambiental aprovou na quarta-feira (24) a liberação do recurso para reparo de água, energia e esgoto, além da reforma e adequações do Solar Navarro de Andrade, do Museu do Eucalipto e do alojamento do antigo Horto Florestal, que há exatos 20 anos se tornou Floresta Estadual.

“O projeto foi desenvolvido pelo setor de Engenharia e Infraestrutura da Fundação Florestal e a escolha do que seria revitalizado teve como base as áreas que mais impactavam o uso público e que estavam fragilizadas. O projeto será licitado nos próximos três meses e deve durar dez meses”, comunicou ao JC a autarquia vinculada à Secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente.

Há anos que se espera um investimento de grande porte para a Feena, local turístico que recebe milhares de pessoas anualmente para visitações. No mês de maio, o prefeito Gustavo Perissinotto (PSD), a vereadora Carol Gomes (Cidadania) e o vereador Julinho Lopes (PP) estiveram numa visita técnica com o subsecretário de Meio Ambiente da Secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente, Eduardo Trani, o diretor executivo da Fundação Florestal, Rodrigo Levkovicz, a promotora do Gaema do Ministério Público, Alexandra Facciolli, conselheiros e técnicos da prefeitura, quando discutiram a proposta que agora torna-se realidade.

O prefeito Gustavo firmou há pouco tempo um novo convênio de cooperação entre o poder público municipal com a Fundação Florestal para melhorias a serem implantadas na Feena. “Estamos muito felizes, a partir daí a Floresta passar a ter condições de receber mais eventos, pois hoje há problema de saneamento e se poderá ocupar o espaço com mais conforto”, comenta ao JC, destacando o papel do MP no apoio à tratativa.

A vereadora Carol, que também colaborou com a articulação, declarou que “após essas reformas, abriremos as permissões de uso e concessões para a iniciativa privada investir no local, tornando-o um espaço de referência de turismo ecológico”, disse. Já o vereador Julinho, que é membro do Conselho Consultivo da Feena, complementa que “são investimentos que resgatarão a importância histórica, cultural, ambiental, propiciando o desenvolvimento de projetos ambientais, recreação e lazer, importantes atrativos à população e aos visitantes”.

História

O Horto Florestal, desde 2002 como Floresta Estadual “Edmundo Navarro de Andrade”, foi criado em 1909. Edmundo Navarro de Andrade teve sua residência no horto florestal, fazendo do local centro de diversas pesquisas sobre o eucalipto, onde foram arquivados os resultados de seus trabalhos, dando origem ao Museu do Eucalipto em 1916.

No final do século XIX, havia uma escassez de matéria-prima para manutenção e construção de ferrovias. Com o intuito de suprir a demanda de madeira para dormentes e carvão, a Companhia Paulista de Estradas de Ferro criou hortos florestais em diversas cidades do interior paulista. Dentre eles, o maior de Rio Claro, criado em 1909, cujo nome foi uma homenagem a Edmundo Navarro de Andrade que, em 1914, trouxe da Austrália 144 espécies de eucalipto para o local.

A sua assinatura é fundamental para continuarmos a oferecer informação de qualidade e credibilidade. Apoie o jornalismo do Jornal Cidade. Clique aqui.

Mais em Dia a Dia:

Nove estados anunciam Lei Seca para domingo

Aneel mantém bandeira tarifária verde para outubro