Nesta Semana de Prevenção à Febre Maculosa, de 19 a 23 de setembro, profissionais do Centro de Controle de Zoonoses participaram de evento promovido pelo governo estadual para atualização de informações sobre o assunto. O evento teve como tema “A Febre Maculosa em tempo e espaço, determinando alertas”.

As orientações recebidas nesta palestra foram compartilhadas pelos profissionais participantes com os agentes de controle de endemias, que atuam diretamente no atendimento à comunidade. Na atividade os agentes acompanharam palestra e participaram de bate-papo em que puderam sanar dúvidas e trocar experiências. Desta maneira os profissionais aperfeiçoaram os conhecimentos para orientar a comunidade sobre a febre maculosa e sua prevenção. Em 2021, Rio Claro teve um caso confirmado de febre maculosa e, em 2022, nenhum caso. Não houve óbitos.

A febre maculosa é uma doença febril aguda causada por uma bactéria transmitida às pessoas por meio do carrapato Amblyomma Sculpitumou Dubitatum, popularmente conhecidos como “carrapato estrela”, “carrapato de cavalo” ou “rodoleiro”. O micuim (larva do carrapato) também pode transmitir a doença.

Ao ter contato com o parasita e início dos sintomas, é fundamental que se procure um médico imediatamente e o informe sobre o contato e, se for o caso, que frequentou áreas de risco, como matas, sítios, campos de várzea, pesqueiros, cachoeiras, parques e florestas.

Para haver transmissão da doença, o carrapato infectado precisa ficar pelo menos quatro horas fixado na pele das pessoas. Não existe transmissão da doença de uma pessoa para outra.

Os primeiros sintomas aparecem de dois a quatorze dias depois da picada. Na maioria dos casos, sete dias depois.A doença começa com sintomas semelhantes aos de outras infecções, incluindo febre alta, dor no corpo, dor da cabeça, inapetência, desânimo. Depois, aparecem pequenas manchas avermelhadas, as máculas, que crescem e tornam-se salientes, constituindo as maculopápulas.

A erupção cutânea é generalizada e manifesta-se também na palma das mãos e na planta dos pés. O diagnóstico é realizado com exame específico. A febre maculosa brasileira tem cura desde que o tratamento com seja introduzido nos primeiros dois ou três dias.

A sua assinatura é fundamental para continuarmos a oferecer informação de qualidade e credibilidade. Apoie o jornalismo do Jornal Cidade. Clique aqui.

Mais em Dia a Dia:

Princesa Victoria ganha consultório odontológico

Rio Claro treina educadores para socorro nas escolas