Correios disponibilizam cartas de Natal

147

Laura Tesseti

Alex Rocha, de 24 anos, conta que há três anos participa da campanha e juntamente com amigos compra os presentes solicitados
Alex Rocha, de 24 anos, conta que há três anos participa da campanha e juntamente com amigos compra os presentes solicitados

As cartinhas de Natal já estão disponíveis nas agências dos Correios de todo Brasil para que a população possa apadrinhar uma criança e tornar o fim de ano de alguém mais feliz. Em Rio Claro, a agência participante é a localizada na Rua 1, nº 1.171, no Centro da cidade.

COMO FUNCIONA

As cartas enviadas por crianças são lidas e selecionadas. As que atenderem aos critérios da campanha são disponibilizadas para adoção. Vale ressaltar que os Correios não entregam cartas para adoção diretamente à população, em suas residências.

Os presentes destinados a cada carta adotada são encaminhados, pelos padrinhos até a agência participante. Não é permitida a entrega direta do presente e, para assegurar o cumprimento desse critério, o endereço da criança não é informado ao padrinho.

Alex Rocha, de 24 anos, morador da cidade de Rio Claro, participa da campanha há cerca de três anos e em 2016 já selecionou a cartinha que irá apadrinhar. “Todo ano venho pegar uma cartinha aqui nos Correios. Eu e mais alguns amigos gostamos de participar e juntos compramos os presentes”, conta o jovem.

Rocha fala ainda sobre a importância desse gesto. “Estudo em uma universidade pública, acredito que essa ação é uma forma de, no mínimo, agradecer e retribuir essa oportunidade que tenho em relação aos estudos e pretendo continuar pegando cartas e apadrinhando-as durante muitos e muitos anos”, finaliza o estudante, que no momento da reportagem escolhia a cartinha.

Datas

Segundo a gerência dos Correios de Rio Claro, as cartinhas podem ser entregues pelas crianças até o dia 9 de dezembro e, para adotar e também entregar o presente, a data-limite é 16 de dezembro. Os presentes de Natal serão entregues aos destinatários até o dia 24 de dezembro.

Qual sua opinião? Deixe um comentário: