Pagando aluguel, com o marido cego e acamado e com as contas no vermelho, a presidente do Conselho da Comunidade Negra de Rio Claro (Conerc), Janice Aparecida Antonio Rezende, procurou a reportagem do Jornal Cidade para pedir ajuda e relatar as dificuldades que tem enfrentado, principalmente financeiras.

“Para mim é muito difícil, mas acredito que preciso expor a minha realidade na tentativa de conseguir alguma ajuda. Meu marido Edson Aparecido Rezende, 62 anos, muito conhecido na cidade, pois teve carrinho de lanches em frente à Unesp por muitos anos, trabalhou como pintor, enfrenta sérios problemas de saúde. Ele já infartou, atualmente perdeu a visão por conta do diabetes, precisa usar fraldas e todo mês a conta não fecha. Recentemente tivemos a energia de casa cortada em razão de várias contas atrasadas. Demos prioridade à água, ao aluguel e à comida, mas mesmo assim está complicado, por isso, se alguém se sensibilizar com a nossa situação, desde já agradeço”, diz Janice.

Somadas, as contas de energia atrasadas giram em torno de R$ 1.000,00. O marido também precisa de fraldas geriátricas (tipo calcinha/de vestir), pois os outros modelos provocam assaduras. Uma chave Pix foi disponibilizada para ajuda: 02802567870 (CPF em nome de Edson Aparecido Rezende). O telefone de contato para outras doações é o (19) 99936-3193.

A sua assinatura é fundamental para continuarmos a oferecer informação de qualidade e credibilidade. Apoie o jornalismo do Jornal Cidade. Clique aqui.

Mais em Dia a Dia:

Princesa Victoria ganha consultório odontológico

Rio Claro treina educadores para socorro nas escolas