Folhapress

O ciclone extratropical que era esperado nesta segunda-feira (15) na região Sul do país deixou um rastro de destruição em várias cidades da região de Porto Alegre (RS) no início desta noite. Houve ventos de até 120 km/h, segundo a MetSul Meteorologia.

Um dos municípios mais atingidos foi Canoas, que teve rede elétrica danificada, ruas bloqueadas pelos fios ou por vegetação, telhados destelhados e até a estrutura do Hospital Nossa Senhora das Graças sofreu avarias.

Tanto que a prefeitura da cidade divulgou uma nota nas redes sociais informando do problema no hospital e pedindo para os cidadãos evitarem ir ao local nas próximas horas.

“Ainda não temos total noção do que aconteceu, sabemos de rede elétrica danificada, de casas destelhadas e tivemos relatos do Hospital Nossa Senhora das Graças que teve a estrutura danificada. Não temos total conhecimento, mas vamos trabalhar durante a madrugada para ajudar no que for possível”, disse a Defesa Civil de Canoas.

Segundo o órgão, cerca de 500 mil pessoas ficaram sem energia elétrica por causa das avarias na rede provocadas pelo temporal.

Além dos ventos fortes, a região também sofreu com uma tempestade de granizo, alguns do tamanho de bolas de golfe. Isso provocou danos nos telhados e nos carros, principalmente em Rio Pardo.

De acordo com o prefeito de Rio Pardo, Rogério Monteiro, metade das casas da cidade foram destelhadas. A prefeitura distribui lonas para a população. “Peço que tenham calma”, ele pediu aos moradores da cidade, em vídeo divulgado nas redes sociais.

Segundo relatos de moradores, a base aérea de Canoas registrou vento de 120,5 km/h. Até o shopping da cidade teve as portas arrancadas pelas rajadas, como foi possível acompanhar em vídeos.

Segundo a MetSul, a página Acontecimentos Cachoeirinha publicou uma foto de uma torre de transmissão de energia caída no Jardim do Bosque, no município de Cachoeirinha. O detalhe é que essas torres são projetadas para resistir a vento muito intenso de até 150 km/h, segundo o instituto.

Em Porto Alegre, um homem desapareceu nas proximidades da rua da Represa e é procurado por equipes da Defesa Civil, Corpo de Bombeiros e Brigada Militar.

Equipes da prefeitura atendem as emergências causadas pelo temporal. Entre as emergências estão a desobstrução de vias e distribuição de lonas.

A Prefeitura de Eldorado do Sul também distribui lonas para os moradores que tiveram as casas destelhadas.

Em Gravataí, a imagem de Nossa Senhora dos Anjos, um dos símbolos da cidade, foi para o chão e um abrigo de moradores de rua ficou totalmente destelhado após a tempestade. Os abrigados foram levados para a sede de um Centro de Tradições Gaúchas.

Houve destelhamento também em uma escola municipal e em repartições públicas. Dezenas de árvores e placas caíram nas ruas e o fornecimento de energia elétrica foi interrompido.

As aulas em escolas municipais foram suspensas nesta terça (16) em Canoas, Cachoeirinha, Rio Pardo e Eldorado do Sul. Em Gravataí, a suspensão das aulas é em toda a rede de ensino, devido aos estragos provocados pelo temporal.

A explicação para a força da tempestade foi o encontro da frente fria trazida pelo ciclone extratropical com o calor que fazia na região durante o dia, em algumas cidades com mais de 30°C. Isso provocou a formação do que é chamado de supercélulas, dando origem à tempestade, segundo a MetSul.

O instituto alerta que o temporal está seguindo rumo ao norte e chegará a outros estados nesta terça.

“O sistema frontal avançará durante a terça pelos estados de Santa Catarina e do Paraná, atingindo ainda parte do Mato Grosso do Sul e algumas áreas do Oeste e do Sul de São Paulo. É o que vai levar chuva para as cidades de Florianópolis e Curitiba”, destaca a MetSul.

Na capital paulista, a frente fria deve chegar no fim da tarde da próxima quarta-feira (17), mudando o tempo e também provocando chuva e ventania, principalmente, no litoral.

A sua assinatura é fundamental para continuarmos a oferecer informação de qualidade e credibilidade. Apoie o jornalismo do Jornal Cidade. Clique aqui.

Mais em Dia a Dia:

Saúde orienta sobre meningite meningocócica

Nesta sexta-feira termina a campanha de vacinação contra a pólio