Condomínio “Vida Longa”, para idosos, através da CDHU, construído em Bauru. Em Rio Claro, deverá ser semelhante.

Programa “Vida Longa” contará com 28 unidades em Rio Claro, no Park Palmeira, e é destinado apenas para idosos. Ambientes serão integrados para convivência.

A Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano do Estado de São Paulo lançou nessa quarta-feira (4) uma licitação para a contratação de empresa para execução de obras e serviços de engenharia para a construção do condomínio “Vida Longa”, um empreendimento composto por 28 unidades habitacionais direcionadas para a população idosa em Rio Claro. O programa havia sido anunciado ainda no Governo Juninho, mas teve nova articulação no ano passado, através do Governo Gustavo, junto às Secretarias Estaduais da Habitação e Desenvolvimento Social.

A iniciativa é voltada para idosos que vivem sozinhos e em condição de vulnerabilidade social. O conjunto habitacional terá imóveis de 28 m² de área privativa cada, distribuídos em cozinha, sala de estar e dormitório conjugados, banheiro e área de serviço. Recursos de acessibilidade também serão instalados nas áreas comuns para facilitar a locomoção e dar segurança e conforto aos idosos.

Em maio de 2022, o então secretário da pasta, Flávio Amary, visitou a área onde será instalado o projeto, que fica na Estrada dos Costas, no bairro Park Palmeiras. O residencial possuirá espaços comuns para convivência e lazer, com refeitório e área para assistir televisão, área com churrasqueira e forno a lenha, aparelhos para atividade física, mesa de jogos, bancos de jardim, horta elevada e paisagismo.

De acordo com o edital, ao qual a reportagem teve acesso, o investimento previsto é de até R$ 5,2 milhões pelo Governo de São Paulo. A previsão de construção e entrega é de até 18 meses. A abertura dos envelopes acontecerá no próximo dia 23 de janeiro, na capital paulista.

“Toda parte do projeto é realizada pela Habitação do Estado, com apoio da Habitação municipal. A seleção será feita entre a Secretarias Municipais de Desenvolvimento Social e Habitação, é uma moradia provisória, que não terá custo para o idoso. A pessoa tem que ter autonomia para morar lá, não é um asilo ou abrigo, mas sim moradia”, explica o secretário municipal de Habitação, Agnelo Matos.

Tags: ,

A sua assinatura é fundamental para continuarmos a oferecer informação de qualidade e credibilidade. Apoie o jornalismo do Jornal Cidade. Clique aqui.

Mais em Notícias:

Mega-Sena sorteia neste sábado prêmio de R$ 135 milhões

Velo Clube recebe o Oeste pelo Paulistão