Caso Chagas: réu é absolvido por legítima defesa

242

Carine Corrêa

Decisão do Júri está prevista para ser anunciada às 17h
Decisão do Júri está prevista para ser anunciada às 17h

Está ocorrendo durante esta terça-feira (5), o julgamento do réu Vail Chagas, acusado de matar sua esposa, Áurea Gentil Brasileira Chagas, em outubro de 2009. Chagas e o filho Rogério, que constava como testemunha, não compareceram ao Tribunal do Júri.

A defesa, representada pelo advogado Edmundo Canavezzi, trabalha com legítima defesa e diz que no dia do assassinato de Áurea ela estava motivada a matar o marido.

Durante seu discurso, o advogado argumentou que uma das evidências que comprovam a defesa é o disparo que atingiu Áurea na cabeça. “O trajeto da bala comprova que ele reagiu deitado, na tentativa de se proteger. Ela estava apavorada, queria ficar com os bens e dinheiro e por isso planejou matá-lo “, relatou ao júri.

A Promotora Titular, Maria Claudia Cruz de Oliveira, baseia sua condenação nos termos da denúncia. “Áurea não atirou contra Vail, como diz a defesa. Todos os disparos foram efetuados por ele”, disse à reportagem.

A reportagem do JC está acompanhando o julgamento. A previsão é que a decisão do Júri seja anunciada às 17h.

ABSOLVIÇÃO

O julgamento terminou antes do previsto. O ex-policial Vail Chagas foi absolvido por legítima defesa com 4 votos a 3. (Atualizado às 16h37)

A matéria na íntegra você confere na edição impressa do JC nesta quarta-feira (6). 

1 COMENTÁRIO

  1. Somente a justiça divina um dia vai punir o verdadeiro culpado, pois como pode entre a justiça dos homens tanto o reu como sua testemunha não estar presente no julgamento, isto é permitido, porém mais uma vez foi o nosso dinheiro desperdiçado como sempre neste eterno episódio, pois sai dos impostos que pagamos, falta para a saúde , educação, mas para enxugar gelo não falta.

Qual sua opinião? Deixe um comentário: