Imagem ilustrativa

Um casal de idosos passou por um grande susto na manhã de ontem (5). Moradores do bairro Jardim São Paulo, eles foram roubados por um criminoso que se passou por um falso profissional da área da saúde de Rio Claro. A pedidos e com medo, os nomes das vítimas serão mantidos em sigilo pela reportagem.

COMO FOI A AÇÃO

A moradora afirmou que, por volta das 8h15, o interfone da residência tocou. “Assim que eu atendi, do outro lado um homem disse que precisaria estar dedetizando a minha casa por conta da varíola dos macacos. Fui até o portão e sem abrir vi que ele estava vestindo um jaleco marrom que nas costas tinha escrito “Secretaria da Saúde”, estava de crachá e com uma bombinha dedetizadora nas mãos. Ele me disse que no bairro cerca de 100 casas precisariam ser dedetizadas por conta de contaminação e quando eu olhei para o outro lado da rua vi que havia mais homens e mulheres, vestidos iguais a ele, no quarteirão. Acreditando ser um serviço da prefeitura, eu abri a minha casa e ele foi colocando o suposto veneno no muro, dos dois lados. Antes dele sair, me pediu um copo de água e eu fui buscar. Quando retornei, ele já estava com uma arma nas mãos e disse que era um assalto”, relata a idosa.

O criminoso então entrou na residência e rendeu também o marido da idosa, que tomava café. Muito agitado, exigia joias e dinheiro, que o casal afirmou não ter. A mulher tinha dois anéis na mão que foram retirados e dados ao bandido e teve a televisão da sala arrancada por ele, que colocou tudo no automóvel dos moradores, um Gol cinza, e fugiu. Antes de sair ainda bateu o carro no portão. A moradora conta que, apesar de orientada por ele a permanecer dentro da casa, saiu na rua e viu quando ele virou a esquina. Pelo quarteirão, ela disse que também não havia mais ninguém uniformizado.

“Entre o momento em que ele tocou o interfone, entrou na minha casa e saiu, eu acredito que não chegou a 10 minutos, até menos, acredito que cinco. Foi muito rápido. Ainda a hora que ele saiu me falou que o que interessava não era o carro e que iria abandoná-lo em um posto perto das 3 Fazendas, mas não encontraram ainda”, relatou a moradora que fez um alerta: “Quis falar porque é um alerta a outras pessoas. É uma quadrilha que pode voltar a agir. A minha casa foi a única no quarteirão assaltada, porque pelo horário os vizinhos ou não atenderam a campainha ou já tinham saído. Outros locais eram chácaras, mas pela forma de abordagem, o uniforme, a gente acaba não desconfiando”.

Fundação faz alerta e não realiza dedetização da varíola dos macacos

Após a ocorrência de roubo contra o casal que foi registrada pela Polícia Militar e está sob investigação da Polícia Civil, a Fundação Municipal de Saúde esclareceu que: “Não é realizada dedetização contra varíola dos macacos e que nenhum profissional do serviço de saúde do município faz abordagem nas residências para este tipo de serviço. A orientação é para que o morador não atenda eventuais solicitações de nebulização contra varíola dos macacos e acione a Polícia Militar, pelo telefone 190, ou Guarda Civil Municipal (153) para denúncias de casos como este”.

Agentes da dengue

Em um segundo comunicado, a Fundação Municipal de Saúde falou que o trabalho idôneo que é realizado são as visitas para combater o Aedes aegypti, que é o mosquito transmissor da dengue. Agentes do Centro de Controle de Zoonoses de Rio Claro realizam trabalho preventivo nas residências, com vistorias e orientações à comunidade. É importante que os moradores recebam os agentes, que realizam trabalho fundamental para a saúde pública.

“Os agentes estão sempre identificados com uniforme e crachá”, informa Pedro Buzzá, responsável pelo Centro de Controle de Zoonoses (CCZ). Em caso de dúvidas, o morador deve ligar para o CCZ, no número 3533-7155 ou 3535-4441. “Quando o agente chamar, não é necessário abrir o portão imediatamente. O morador deve primeiro conferir o crachá e, em caso de dúvida, acionar o CCZ para verificar se trata-se realmente de um agente de saúde antes de permitir sua entrada na residência”, reforça Pedro.

A sua assinatura é fundamental para continuarmos a oferecer informação de qualidade e credibilidade. Apoie o jornalismo do Jornal Cidade. Clique aqui.