Já imaginou receber a notícia da sua própria morte? Foi isso o que aconteceu com o cantor Paulo Eduardo de Oliveira, de 40 anos, em São Vicente, no litoral paulista.

O fato, que é no mínimo curioso, aconteceu após Paulinho Oliveira, que nem sequer tinha ido ao hospital nos últimos dias, ser dado como morto no Hospital Municipal de São Vicente.

De acordo com as informações, a unidade de saúde ligou para a esposa de Paulinho, que teria morrido por tuberculose, para que ela reconhecesse o corpo do marido.

A situação inusitada virou motivo de piada e diversão para o cantor, que relatou todo o processo de sua “morte” nas redes sociais. Com bom humor, Paulinho publicou uma série de vídeos afirmando que está “muito vivo”.

Apesar de não ter morrido, o cantor precisou passar por uma burocracia por conta do ocorrido, já que até mesmo seu atestado de óbito estava pronto e precisou ser cancelado.

Entenda o caso

De acordo com o relato, Paulinho estava no carro com a esposa quando ela recebeu a ligação do Serviço Social do Hospital Municipal avisando que ela precisava comparecer à unidade de saúde com urgência.

Dentro do hospital, a mulher foi avisada da “morte” de seu marido, que estava esperando no carro. Ao ser informada do “óbito”, a esposa negou a informação e Paulinho precisou se apresentar para esclarecer a confusão.

O rapaz precisou, inclusive, reconhecer o corpo para informar que não era ele mesmo ou outro parente.

Prefeitura de São Vicente

A Prefeitura de São Vicente informou que, na manhã de domingo (26), o Samu foi acionado para atender a uma pessoa em situação de rua e o homem identificou-se à equipe como Paulo Eduardo dos Santos. No Hospital Municipal, o paciente teve uma piora no quadro, vindo a falecer à noite.

Foi verificado no sistema que uma pessoa com o mesmo nome e idade já havia sido atendida no hospital e a unidade contatou um familiar pelo telefone indicado na ficha.

A prefeitura ressalta que os procedimentos adotados visaram a todo momento a identificação do paciente que faleceu. Por fim, foi gerada uma declaração de óbito sem nome. O corpo foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML) para identificação documental e procura de eventuais familiares.

A sua assinatura é fundamental para continuarmos a oferecer informação de qualidade e credibilidade. Apoie o jornalismo do Jornal Cidade. Clique aqui.

Mais em Dia a Dia: