Caldeirão da Redação debate sobre voto consciente

103

Antonio Archangelo

Da esquerda para a direita: Antonio Archangelo, o empresário Nelson Salomone, a presidente da OAB-RC Rosa Cattuzzo, o radialista Ivo Rosalem e o empresário Israel Bíscaro (Lim)
Da esquerda para a direita: Antonio Archangelo, o empresário Nelson Salomone, a presidente da OAB-RC Rosa Cattuzzo, o radialista Ivo Rosalem e o empresário Israel Bíscaro (Lim)

Tema presente nas rodas de conversas este ano, a eleição de 2014 e o voto consciente foram o foco do debate promovido na edição de setembro do “Caldeirão da Redação” realizado no restaurante Jangada. Com a presença do jornalista e radialista Ivo Rosalem, da presidente da 4ª Subseção da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) de Rio Claro, Rosa Cattuzzo, e dos empresários Nelson Salomone e Israel Bíscaro (Lim).

A campanha “Eu Voto por Rio Claro” dominou boa parte do primeiro bloco do programa, com posições divergentes, enquanto os convidados degustavam diversos tipos de salgado. De um lado, Lim e Rosa Cattuzzo evidenciando a importância da cidade conquistar e ampliar a representação política; e, do outro lado, Nelson Salomone defendendo a liberdade de escolha durante o voto e propondo, sobretudo, a implantação do chamado “Voto Distrital” nos próximos pleitos.

Lim, idealizador da campanha, elencou a importância do voto em candidatos da cidade no sentido de consolidar a representação política.  Como presidente da OAB, Rosa Cattuzzo ratificou seu apoio à supracitada campanha e alertou que só a representação política local garante o sucesso em pleitos como a construção do Fórum, da implantação de Vara Federal na cidade, entre outros anseios da comunidade, que ficam mais difíceis. De acordo com ela, sem representação política federal e estadual, os pedidos da comunidade dificilmente serão atendidos pela esfera estadual e federal.

No segundo bloco, como cardápio principal, o especial Yakisoba do Jangada, o tema foi a impressão dos convidados sobre a existência, ou não, da percepção do eleitor em relação ao sistema político eleitoral e o que pode ser feito no sentido de aumentar a qualidade dos eleitos pelo voto no país.

Nelson Salomone, também colaborador do Jornal Cidade, relatou um certo ceticismo em relação à melhora da classe política. Lim analisou em cima do que ele elencou como ciclo vicioso, que se inicia, principalmente, com o enfraquecimento da família nos lares brasileiros.

O argumento foi questionado por Ivo Rosalem, que pontuou que vários políticos corruptos foram bem educados e se formaram em boas famílias, e isso não garantiu a honestidade em suas ações como políticos.

Para Rosa, o ciclo vicioso que envolve diversos fatores familiares, educacionais, entre outros, também influencia o atual momento. “É um conjunto de fatores que contribuem para este ponto, a situação complicada. Infelizmente, os eleitores não possuem consciência”, completou. “Precisamos educar nosso jovens”, comentou a advogada, pontuando a necessidade do fortalecimento familiar.

Para ouvir o programa na íntegra, basta clicar nos players abaixo.

Primeiro Bloco:

Download 1º Bloco

Segundo Bloco:

Download 2º Bloco

Qual sua opinião? Deixe um comentário: