Divulgação

O mercado consumidor de jogos eletrônicos é grande no Brasil, gerando oportunidade de negócio e emprego para os brasileiros. Hoje, o País é o quarto maior consumidor mundial de games, movimentando R$ 850 milhões. Para se ter uma ideia, dos 80 milhões de internautas brasileiros, 61 milhões jogam algum tipo de jogo, aponta a Pesquisa Game Pop Ibope, realizada em 2012. Só em julho/2012, 25,7 milhões de pessoas visitaram sites de jogos.

Estes números significam oportunidade para o País, que tem recursos humanos e competências para desenvolver produtos que atendam à demanda dos brasileiros por games. O principal desafio dos brasileiros é a concorrência internacional, composta por grandes empresas com orçamento expressivamente superior e capilaridade em diversos mercados.

Atualmente, há 133 pequenas e médias empresas do ramo, segundo levantamento do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Para ajudar a indústria brasileira de jogos digitais a abocanhar a demanda nacional, e com isso gerar emprego e renda no País, o governo federal lançou várias medidas de fomento ao segmento.

É o caso da Política Nacional de Conteúdos Digitais Criativos, do Ministério das Comunicações, que une os esforças dos governos municipais, estaduais e federal para desenvolver e fortalecer os produtores de games no Brasil. Por meio de convênios com o poder público, o Ministério da Comunicações já investiu R$ 21 milhões em Arranjos Produtivos Locais (APLs) de games e aplicativos. Recurso que está sendo aplicado em projetos em Pernambuco, Rio Grande do Sul e Rio de Janeiro.

A sua assinatura é fundamental para continuarmos a oferecer informação de qualidade e credibilidade. Apoie o jornalismo do Jornal Cidade. Clique aqui.

Mais em Notícias:

Idoso desaparecido em Anápolis (GO) é localizado em Rio Claro

Escola infantil Vô Chico promove caminhada contra a dengue

As raízes italianas de Rio Claro