O Procon-SP já registrou 1.910 queixas de consumidores que tiveram problemas com compras ou contratações durante a Black Friday. A promoção, que aconteceu na última sexta-feira de novembro (25/11), também foi responsável por 269 consultas e orientações nas redes sociais.

As principais reclamações feitas pelos consumidores foram: atraso ou não entrega do produto (713 queixas, 37% do total); pedido cancelado após finalização da compra (251 queixas, 13% do total); produto ou serviço entregue diferente, incompleto ou com danos (224 queixas, 12% do total); produto ou serviço indisponível (158 queixas, 8% do total);
e maquiagem de desconto – quando o desconto oferecido não é real (149 queixas, 8% do total). 

Não entrega, demora ou entrega de um produto diferente são questões reclamadas pelos consumidores e que poderiam ser facilmente resolvidas pelas empresas. Prometeu tem que cumprir”, afirma Guilherme Farid, diretor executivo do Procon-SP. “Outro ponto de destaque é a maquiagem de preços, que se trata de fraude por parte das empresas, e que demanda uma atuação enérgica do Procon-SP para que o problema não se repita”, finaliza.

Para reclamar de problemas com a Black Friday o consumidor pode acessar o https://consumidor2.procon.sp.gov.br ou agendar em um dos postos de atendimento presencial.

Para fins de monitoramento interno, o Procon-SP disponibilizou um canal específico para o registro destas reclamações desde o dia 11 de novembro, já que o varejo costuma anunciar as promoções desde o começo do mês.

A sua assinatura é fundamental para continuarmos a oferecer informação de qualidade e credibilidade. Apoie o jornalismo do Jornal Cidade. Clique aqui.

Mais em Dia a Dia:

Gustavo entrega nova escola com 188 vagas para crianças

Falecimentos: confira a necrologia de 29/02/2024