Ataque em uma creche em Blumenau. Um homem com uma machadinha, invadiu a escola, matou quatro crianças, feriu uma outra gravemente e depois se entregou à polícia. Foto: Fábio Monteiro/Fotoarena/Folhapres.

CATARINA SCORTECCI (CURITIBA, PR, FOLHAPRESS)

O homem de 25 anos que matou quatro crianças na creche Cantinho Bom Pastor, em Blumenau (SC), na quarta-feira (5), agiu sozinho, segundo conclusão da Polícia Civil após perícia no celular dele.

A investigação está sendo realizada pela Divisão de Investigação Criminal de Blumenau, da Polícia Civil de Santa Catarina.

Em entrevista à Folha de S.Paulo na quinta-feira (6), o delegado Ronnie Esteves informou que o homem alegou que estava sendo ameaçado por uma pessoa e que teria praticado os crimes para não ser executado, versão que a polícia chamou de fantasiosa.

O celular foi analisado pela Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática da Diretoria Estadual de Investigações Criminais.

O delegado-geral da Polícia Civil, Ulisses Gabriel, também afirma que até agora não foi encontrado nenhum indício de que o ataque tem relação com algum jogo de internet.

Segundo a polícia, o homem que atacou a creche morava com a mãe em Blumenau e trabalhava como motoboy, fazendo entregas.

Ele tem quatro passagens na polícia: em 2016 (por briga em casa noturna); em 2011 (por ter esfaqueado o padrasto); e outras duas em 2022 (por posse de cocaína e por ter esfaqueado o cão do padrasto).

Após matar as crianças, ele se entregou na guarda do 10º Batalhão de Polícia Militar, sendo preso e levado para o Presídio Regional de Blumenau. A reportagem ainda tenta contato com a defesa dele.

As investigações ainda estão em curso, com depoimentos de pessoas e análise de materiais. O dono da Cantinho Bom Pastor, Aparecido Albertoni Vicente, disse à reportagem que o espaço tem câmeras de segurança espalhadas na creche e que as filmagens já estão em posse da polícia.

De acordo com o delegado-geral, o investigado deverá ser indiciado por quatro crimes de homicídio qualificado por motivo fútil, emprego de meio cruel, sem possibilidade de defesa e contra menor de 14 anos, além de quatro crimes de tentativa de homicídio, com as mesmas qualificadoras, em relação às crianças que ficaram feridas e precisaram ser levadas para o Hospital Santo Antônio -elas tiveram alta hospitalar na quinta-feira.

A pena para o homicídio simples é de 6 a 20 anos de reclusão, além de multa. Com circunstâncias qualificadoras, a pena pode aumentar de 12 a 30 anos de reclusão.

No sábado (8), funcionários da creche se reuniram para contar para a imprensa como foi o ataque. De acordo com a escola, o homem pulou o muro e entrou na creche no momento em que 25 crianças se reuniam no pátio para uma roda de conversa sobre a Páscoa.

Inicialmente, a direção da creche chegou a cogitar a retomada das atividades entre terça-feira (11) e quarta-feira (12). Mas, a data agora segue indefinida.

O prefeito de Blumenau, Mário Hildebrandt, decidiu na noite de sábado (8), após reunião com o secretariado, que a rede municipal de ensino deve fazer um recesso de uma semana, a partir desta segunda-feira (10).

“O período de férias será utilizado para organizar legalmente a contratação da segurança privada que atuará nas escolas e creches do município”, explicou ele.

A Cantinho Bom Pastor funciona há quase 15 anos no bairro Velha e atende desde bebês até crianças com 12 anos de idade.

Mais em Segurança:

POLÍCIA: GCM detém jovem com drogas no Cervezão

Incêndio atinge canavial e fumaça chama atenção