A creche Prof. Sebastião Ambrósio foi uma das unidades atingidas pela contaminação

Carine Corrêa

A creche Prof. Sebastião Ambrósio foi uma das unidades atingidas pela contaminação
A creche Prof. Sebastião Ambrósio foi uma das unidades atingidas pela contaminação

As aulas em duas escolas do Complexo Educacional do Jardim Novo foram suspensas no último dia 8, em razão da contaminação em um reservatório de água. Desde então, cerca de 400 alunos estão sem aula. A contaminação da caixa d’água causou um surto de diarreia em onze alunos. “A Secretaria Municipal da Educação irá autorizar o reinício do atendimento nas duas unidades escolares tão logo receba a liberação por parte da Vigilância Sanitária”, informou a assessoria de imprensa da prefeitura sem definir a data de retorno das aulas.

Informações extraoficiais indicam que a causa da contaminação seriam dejetos de urubu na caixa d’água. A mesma fonte ainda informou que o laudo de análise da água após a limpeza do reservatório deve ser concluído nesta quarta (17) e que as aulas podem ser retomadas na quinta, mas não é oficial.

Sobre a limpeza do reservatório, a prefeitura afirmou que passa com frequência por inspeção. “Os reservatórios de água das unidades de ensino do município passam por limpeza regular a cada seis meses. A fiscalização em estabelecimentos é feita periodicamente pela Vigilância Sanitária (Visa) – por intermédio da divisão de Vigilância Ambiental, que faz inspeção e solicita os laudos de higienização aos responsáveis. Em residências, as providências cabem ao proprietário”, encaminhou em nota em outra solicitação do JC.

A Secretaria da Educação ainda disse que providenciou a limpeza e os procedimentos de desinfecção da caixa d’água. “Após a limpeza e desinfecção da caixa d’água, nova amostra de material foi colhida pela Visa. A análise desse novo material está em andamento”, reforçou. Além dos onze alunos, um funcionário de uma das unidades adoeceu com a água contaminada. De acordo com informações, o surto de diarreia teria afetado apenas uma das unidades do Complexo, mas as duas teriam sido interditadas por segurança.

A sua assinatura é fundamental para continuarmos a oferecer informação de qualidade e credibilidade. Apoie o jornalismo do Jornal Cidade. Clique aqui.

Mais em Dia a Dia: