Por Antonio Archangelo

Uma a cada três crianças da microrregião, com idade entre 8 e 9 anos, registraram desempenho insuficiente em Leitura e Matemática e não superaram nível 2 em escala que vai até 4 e mede a proficiência nas duas áreas do conhecimento. Dados da Avaliação Nacional de Alfabetização (ANA) de 2014, divulgados pelo Ministério da Educação (MEC) esta semana dão um panorama do aprendizado de estudantes do 3º ano do ensino fundamental matriculados em escolas municipais e estaduais. Na media, 39,53% e 38,39% dos alunos da microrregião ficaram nos níveis mais baixos da avaliação.

Por exemplo, 10,08% das crianças avaliadas ficaram no nível 1 de leitura, considerado o mais baixo e preocupante, segundo o governo. “O nível 1 é francamente inadequado, a pessoa não consegue ler mais que uma palavra. Isso a gente não pode aceitar, tem que zerar”, afirmou o ministro Renato Janine Ribeiro ao divulgar os dados nacionais.

Ipeúna, por exemplo, registrou o maior percentual de alunos no nível 1 de leitura e Matemática com 16,72% e 18,20% respectivamente; seguida por Corumbataí – com 14,06% e 14,26 respectivamente. Por outro lado, Analândia registrou apenas 6,12% dos alunos no nível 1 em leitura e Santa Gertrudes 6,14% em matemática.

97abfd918855f1b4192b50fd16204e3e

Nesse patamar, as crianças não conseguem, por exemplo, resolver problemas com números maiores de 20, segundo o MEC.

f758aa3637fed8eb9761a09f9aed0eb2

“Os números mostram que estamos no caminho certo. A educação no município vem avançando e isso é trabalho de toda a equipe. Diversas ações são realizadas como o Programa Tenda da Leitura, que incentiva o hábito da leitura desde cedo, incentiva a participação em olimpíadas de Matemática” citou a secretária de Santa Gertrudes, Iara Lopes dos Santos

“A partir da análise dos dados da ANA, objeto norteador do trabalho da Secretaria Municipal de Educação, são feitos replanejamentos e redirecionamentos do trabalho. Certa equiparação dos municípios da região mostra a igualdade do atendimento” – disse o secretário de Educação de Ipeúna, Tiago Alves de Souza

Avaliação

A avaliação é feita com base em duas provas: na de língua portuguesa, há 17 questões de múltipla escolha e três de produção escrita. Na prova de matemática, são 20 questões de múltipla escolha. Na avaliação da leitura, os níveis vão de 1 a 4. No nível 1, as crianças são capazes de ler apenas palavras. No 2, conseguem achar informações explícitas em textos curtos ou na primeira linha de um texto longo e, no nível 3, são capazes de localizar informações explícitas no meio ou ao final de textos mais extensos e fazer a relação entre causa e consequência. Já no nível 4, o mais alto, o estudante deve ser capaz de reconhecer a relação de tempo, os participantes de um diálogo, estruturas sintáticas como pronomes possessivos e entendem o sentido de trechos de contos. Foram avaliadas 2.947 crianças na microrregião.

ANALÂNDIA

e1f03c894e924df9858d34b63c866866Em nota, a prefeitura de Analândia afirmou que “consideramos a somatória dos dois níveis mais avançados .Os níveis 3 e 4. E os níveis 4 e 5 no quesito escrita. A avaliação demonstra que Analândia avançou na aprendizagem e está em 1º lugar entre os municípios na avaliação sobre leitura. Em 2º lugar na avaliação sobre escrita e em 4º lugar na avaliação de matemática. O prefeito Rogério Ulson comemorou a avaliação. “Educação é prioridade em Analândia. Começamos valorizando os professores, com aumento de 50% na hora/aula, fizemos investimentos estruturais, oferecemos uniformes escolares, material escolar transporte escolar gratuito para todos os alunos, principalmente das fazendas (zona rural) e este ano demos o passo mais importante desse processo, que foi a implantação do sistema de ensino. Os dados mostram que avançamos e estamos trabalhando para avançar ainda mais”, afirmou. “Educação não é gasto, é investimento” citou.

RIO CLARO

148904f86c988271fd6dedcd4e6e2aaeEm nota, a secretaria municipal de Educação, de Rio Claro, disse que “ressalta a importância da Avaliação Nacional da Alfabetização, realizada em 2014 com resultados divulgados neste mês, e que constitui um importante parâmetro para o município aprimorar o ensino oferecido aos alunos atendidos na rede pública municipal. Mesmo com os bons resultados gerais obtidos pelo município de Rio Claro, a Secretaria da Educação entende que o mais importante da ANA é a possibilidade de avaliar separadamente o resultado obtido em cada escola, o que a torna um instrumento a mais para o município desenvolver um trabalho ainda mais focado na realidade de cada uma das unidades municipais de ensino. Essa análise por escola a partir da ANA já está sendo feita pela Secretaria Municipal da Educação. É bom ressaltar que a ANA é realizada a partir de indicadores de cada município, que têm realidades diversas, e por isso os resultados gerais não têm valor comparativo entre as cidades avaliadas” disse.

Na cidade foram avaliadas 1907 alunos do 3º ano do Ensino Fundamental, no ano passado. De acordo com os resultados, 64,25% dos alunos estão nos níveis mais elevados (3 e 4) de aprendizagem no quesito Leitura. Outras, 88,73% estão nos níveis mais elevados (4 e 5) de escrita. Em Matemática, 63,9% dos alunos estão no níveis (3 e 4) mais elevado.

MEC

Para o Ministério da Educação, “os resultados refletem, como em outras avaliações, a enorme influência de fatores alheios à escola. Nesse caso, é possível ver como a desigualdade começa na porta de entrada do sistema educacional. Há diferenças de cor/raça e de categoria da escola segundo o INSE. A ANA possibilita que conheçamos o trabalho exemplar desenvolvido por muitas escolas em todas as regiões do País. São escolas que, apesar das adversidades externas, conseguiram tirar seus estudantes do Nível 1 e podem contribuir como referência” cita na conclusão do relatório apresentado esta semana. “As proficiências em Leitura e Matemática obtidas com a ANA 2014 estão na mesma escala construída em 2013 e fornecem um diagnóstico da alfabetização dos alunos” cita o documento.

A sua assinatura é fundamental para continuarmos a oferecer informação de qualidade e credibilidade. Apoie o jornalismo do Jornal Cidade. Clique aqui.

Mais em Notícias: