AME: 18% das consultas são perdidas

219

Ednéia Silva

Pacientes aguardam atendimento em frente ao AME, na Rua 9, com a Avenida da Saudade
Pacientes aguardam atendimento em frente ao AME, na Rua 9, com a Avenida da Saudade

É muito difícil conseguir uma consulta ou exame na rede pública de saúde, principalmente quando o agendamento pretendido é com um especialista. Porém, nem todos os pacientes que conseguem a vaga assumem o compromisso de utilizá-la. O alto índice de absenteísmo é um problema que vem crescendo no AME (Ambulatório Médico de Especialidades). No primeiro trimestre desse ano foram desperdiçadas 3.357 consultas médicas, 18% das 18.184 consultas agendadas.

Os dados foram divulgados pela gerente Administrativa do AME, Priscila Fernandes Ferraz. De acordo com ela, nem sempre os pacientes avisam com antecedência sobre a ausência e a consulta é perdida. Ela entende que pode haver imprevistos e que a falta muitas vezes é necessária, mas pede que os pacientes avisem sobre a ausência com pelo menos dois dias de antecedência para que o AME tenha tempo hábil de colocar outra pessoa no lugar.

A gerente lembra que existe fila de espera, principalmente nas especialidades. Enquanto a vaga fica ociosa, outra pessoa que precisa do serviço fica sem atendimento. “Quando o paciente falta, além de desperdiçar os recursos, ele tira a oportunidade de outra pessoa que está aguardando ser atendida”, ressalta Priscila.

As faltas não acontecem somente nas consultas e exames. Os retornos também registram absenteísmo. “Percebe-se que quando o paciente sente melhora nos sintomas ele falta ao retorno pois entende que está melhor e que não há necessidade em voltar. Porém, se o médico solicitou retorno é porque há necessidade em rever o paciente”, comenta.

Algumas especialidades registram índice de faltas maior que outras. Dentre as especialidades médicas, as campeãs são, em ordem de ausência, dermatologia, neurologia, otorrinolaringologia, acupuntura, ortopedia e oftalmologia. De janeiro a março deste ano foram agendadas 18.184 consultas e registradas 3.357 faltas.

Dentre as especialidades não médicas, o maior número de faltas é na fonoaudiologia, nutrição e fisioterapia. No período citado foram feitos 7.572 agendamentos com registro de 1.192 faltas. O AME também verifica ausência para exames e procedimentos. Dos 12.937 agendamentos os pacientes faltaram em 2.301 no primeiro trimestre desse ano.

A gerente destaca que em algumas especialidades, como a dermatologia, o número de faltas é considerável. “O paciente julga que doenças desta especialidade são de menor importância e não importam em perder a consulta”, observa. No entanto, ela salienta que os pacientes que chegam ao AME já passaram por uma consulta prévia no posto de saúde e o profissional avaliou que ele necessita de um especialista. “Sendo assim, o paciente não deve negligenciar o pedido médico de avaliação, pois agindo dessa forma estará colocando sua saúde em risco”, frisa.

Havendo necessidade de faltar a consulta ou exame, o paciente deve avisar o AME com dois dias de antecedência. O aviso pode ser feito pelo telefone (19) 3526-2300. Priscila informa que o reagendamento não pode ser feito pelo telefone. Nesse caso, é preciso comparecer ao AME na Avenida da Saudade, esquina com a Rua 9, no bairro do Estádio.

Qual sua opinião? Deixe um comentário: