VÍDEO: rampas sem acessibilidade no Centro de Rio Claro

148

Lucas Calore

O problema é antigo. Cadeirantes têm dificuldade para se locomover pelas ruas e avenidas de Rio Claro. No centro da cidade, além da atenção ao trânsito, esses cidadãos também sofrem com a má construção das rampas de acessibilidade.

O JC acompanhou o advogado Marçal Casagrande, que é cadeirante há sete anos, no uso das rampas instaladas recentemente no entorno da Praça da Liberdade.

Foi o próprio advogado que solicitou a construção delas no local, pois nos próximos dias irá assumir um cargo dentro do Fórum, em frente à praça. Ele sofre de distrofia muscular tipo cinturas.

Segurança

As rampas instaladas deveriam ajudar, porém não estão completamente adaptadas. Isto porque elas estão com elevações na guia da sarjeta, o que dificulta a subida e descida nelas. Casagrande protocolou o pedido solicitando as rampas há cerca de oito meses. “Quanto mais tempo irão demorar para ajustar?”, questiona.

Mesmo usando uma cadeira de rodas motorizada, o advogado teve que ser ajudado pela reportagem para que fosse empurrado e saísse da sarjeta, onde a cadeira ficou presa. “Gastaram dinheiro para uma coisa que não é usável, é como se não tivesse”, lamenta.

O advogado usa ônibus e van do transporte coletivo de Rio Claro para chegar ao Fórum, onde já tem atividades pelo menos duas vezes por semana.

As rampas foram construídas defronte à Igreja Matriz São João Batista, sendo na calçada da igreja e da praça, onde tem um ponto de ônibus, defronte ao Fórum junto à faixa de pedestres, defronte à Escola Puríssimo e defronte ao Casarão de Cultura.

Normas

Conforme estabelecido em uma norma da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), as rampas devem seguir requisitos na sua construção, como inclinação máxima, piso antiderrapante, largura mínima, sinalização com piso tátil, entre outros.

Prefeitura

A Prefeitura de Rio Claro foi questionada sobre este problema específico da Praça da Liberdade, mas não respondeu ao JC. Entretanto, ressaltou que a implantação de rampas de acessibilidade vem sendo feita de maneira gradativa em várias regiões do município.

Qual sua opinião? Deixe um comentário: