O secretário de Saúde de Rio Claro, Maurício Monteiro, reforçou nessa terça-feira (24) que o município vem adotando medidas prescritas pelo Ministério da Saúde quanto à realização dos exames em pacientes suspeitos de contágio pelo coronavírus. “Quando temos o ingresso do paciente suspeito dentro do serviço de saúde, público ou privado, é feito a coleta de amostra que é enviada para o Instituto Adolfo Lutz, em São Paulo”, diz.

O IAL é o laboratório de referência dos 645 municípios do Estado de São Paulo. “No início da pandemia no Brasil a demanda era baixa, o Instituto entregava os exames em sete dias. Porém, com o agravamento, as demandas estão sendo exacerbadas. Todos os municípios estão produzindo coleta de amostras e sobrecarregou o laboratório”, explica Monteiro.

O secretário acrescenta que a demora “que estamos tendo tem sido entre 12 e 15 dias para conseguirmos os resultados. Entramos em contato com as equipes do laboratório para pedir celeridade e priorização dos resultados dos exames dos pacientes que estão com quadro mais grave, para que tenhamos mais agilização na divulgação do resultado à população”, completa.

Já nesta quarta-feira (25), até às 16h30, eram 33 casos notificados como suspeitos em Rio Claro, sendo outros sete que já foram descartados e nenhum confirmado como positivo, de acordo com dados oficiais da Fundação Municipal de Saúde.