Vacina pentavalente está em falta na rede pública de saúde

894

A vacina Pentavalente protege contra difteria, tétano, coqueluche, hepatite B e meningite e infecções por HiB. A vacina, em três doses, é obrigatória para crianças de dois, quatro e seis meses de idade.

No entanto, está em falta na rede pública de saúde do País. De acordo com o Ministério da Saúde, os lotes da vacina fornecida pelo laboratório indiano Biologicals E. Limeted foram reprovados pelo Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde (INCQS) e Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), sendo suspendidas a importação e sua distribuição.

Consequentemente, o problema afeta Rio Claro. Em nota, a prefeitura informa que, assim como outras cidades, aguarda a reposição da vacina pentavalente pelo Ministério da Saúde, que é o único órgão público autorizado pelo Programa Nacional de Imunização a adquirir essa vacina.

“O Ministério da Saúde, que fornece a pentavalente aos municípios, recolheu a remessa mais recente das doses por determinação da Agência Nacional do Vigilância Sanitária (Anvisa). Foram interditadas 3.250.000 doses. Isso prejudicou a aplicação da vacina em vários municípios, inclusive Rio Claro, que aguarda a entrega de nova remessa da vacina”, destaca. No entanto, não foi informado se há alguma previsão para normalizar o quadro.

Desde 2012, o Programa Nacional de Imunização (PNI) oferta a vacina pentavalente no calendário de vacinação.

Qual sua opinião? Deixe um comentário: