Unfollow terapêutico: uma limpeza nas redes

92

Alguma vez você já se sentiu desconfortável com a sua aparência? Provavelmente, a resposta seja sim! Mas quem nunca passou por isso, né? Antigamente eram as revistas de beleza as vilãs. Hoje, seu “inimigo” pode estar no celular: a distorção que as redes sociais provocam.

Segundo Monique Pimentel, psicóloga organizacional da Maternidade Escola Januário Cicco, da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, esse é um tema alvo de pesquisas. “Alguns estudos já mostraram que a percepção das mulheres sobre a própria aparência é afetada após interagir virtualmente, comprometendo assim sua autoimagem”, comenta.

O importante é lembrar que: a diferença entre o remédio e o veneno está na dose. Basta uma porção de senso crítico e de sabedoria para filtrar os benefícios que esses meios podem oferecer.

Não baseie suas emoções em likes

Receber elogio é bom e todo mundo gosta, mas na era das redes sociais o reconhecimento ganhou outro nome: likes. Mas como essa palavrinha tão pequena consegue causar tanto? A psicóloga Monique explica que as pessoas hoje em dia estão regrando suas emoções pela quantidade de curtidas que recebem.

Nesse sentido, ela conta que já se fala em Transtorno de Dependência de Internet (TDI), que se caracteriza pela incapacidade de controlar o próprio uso. “Essa busca incessante por curtidas e reconhecimento gera ansiedade e dependência”, complementa.

Qual sua opinião? Deixe um comentário: