Os artistas do Circo Spanic chegaram a Rio Claro no início de 2020 com a ideia de trazer alegria para a população. Isso, porém, não foi possível. Em razão da pandemia, o circo não pôde realizar espetáculos e, desde então, os artistas ficaram na cidade sem poder fazer o que amam.

A situação afetou as condições financeiras dos artistas, que dependem do circo para se sustentar. Essas pessoas precisaram se adaptar e buscar alternativas.Felizmente, foram acolhidos por Rio Claro.

“O pessoal da cidade nos abraçou como família, para nós não faltou nada. Agora e esperar passar a pandemia, rezar para que isso chegue logo. Nosso objetivo é trabalhar. Vendemos bola, maçã do amor, outras coisas, mas agora parou tudo. Estamos procurando coisas para trabalhar, é uma forma da gente se virar”, explica Edson Gilberto Portugal, proprietário do circo.

Os novos “moradores” de Rio Claro demonstram gratidão à cidade e ainda esperam poder usar a arte para retribuir o carinho recebido.

“Nasci de baixo de uma barraca de circo. Adoro a arte circense, não vamos deixar o circo morrer, temos que levar alegria e vamos fazer esse agradecimento a Rio Claro”, completa Portugal.

A sua assinatura é fundamental para continuarmos a oferecer informação de qualidade e credibilidade. Apoie o jornalismo do Jornal Cidade. Clique aqui.

Mais em Dia a Dia:

Rio Claro teve três novos casos de Covid