Rotary beneficia Cooperviva em projeto

295

Neste sábado (18), às 9h, o Rotary Club de Rio Claro Alvorada irá inaugurar o seu projeto global. Com investimentos de R$ 200 mil, a iniciativa ‘Moagem de plásticos – agregando ao trabalho do catador’ contempla a Cooperviva (Cooperativa de Trabalho dos Catadores de Material Reaproveitável).

A cooperativa receberá um equipamento que ampliará em até 300% a sua capacidade de produção. Agora, haverá uma linha que permitirá fazer a separação, lavagem, secagem e moagem do plástico que será vendido como matéria-prima final para as indústrias pronta para utilização.

“Agora com o equipamento, os materiais coletados poderão ser processados na própria cooperativa, saindo da máquina em formato de matéria-prima para ser vendida diretamente à indústria, aumentando os seus rendimentos. Além da questão lucrativa, tem o fator ambiental envolvido”, destaca Regina Miquelloto, presidente do Alvorada.

Com a proibição da entrada de catadores no antigo lixão de Rio Claro, por questões sanitárias e de segurança, 199 pessoas que encontravam em meio ao lixo condições para prover o próprio sustento, recolhendo e vendendo materiais recicláveis e outros objetos, tiveram que buscar outra alternativa. Um empresário, então, alugou um galpão no Jardim Guanabara e o pessoal passou a trabalhar nesse local, com a mesma tarefa.

Por questões administrativas, o projeto foi encerrado e os catadores passaram a trabalhar numa central de triagem. Insatisfeitos com a remuneração, um a um saiu, ficando somente Inair Francisca da Rocha Marcelino. Perseverando no trabalho, aprendeu as técnicas da reciclagem e encontrou disposição e motivação para ampliar suas metas, beneficiando outros trabalhadores e suas famílias com a criação da Cooperviva.

Qual sua opinião? Deixe um comentário: