Um caso de dengue foi registrado ao longo da semana em Rio Claro. Com isso, o município soma 1.155 confirmações da doença neste ano em que, até o momento, não há registros de zika vírus, chikungunya e febre amarela, doenças também transmitidas pelo Aedes aegypti. Mesmo com a desaceleração no ritmo dos casos de dengue, a Secretaria Municipal de Saúde alerta a população para redobrar os cuidados no combate ao mosquito transmissor, principalmente porque em breve tem início o período de chuvas.

O Aedes aegypti se reproduz em água parada. Por isso é essencial eliminar os recipientes e manter os quintais sempre em ordem. O acúmulo de lixo e materiais inservíveis favorece a proliferação do Aedes e os terrenos baldios e vias públicas também precisam estar sempre limpos. A comunidade deve descartar corretamente todo material que possa acumular água e servir para a reprodução do mosquito. Os rio-clarenses contam com coleta de lixo domiciliar em todos os bairros, sete ecopontos, coleta seletiva de lixo e serviço mensal de cata bagulho.

Algumas ações da comunidade são fundamentais no combate ao mosquito transmissor da dengue, entre elas colocar areia nos pratinhos dos vasos de plantas; tampar baldes e bacias; manter pneus em local coberto; deixar garrafas com a boca virada para baixo; limpar calhas para não acumular água; tratar água de piscina e fontes com produtos adequados; limpar e manter caixas d’água bem fechadas; e lavar regularmente os bebedouros de animais com água e sabão.

As ações preventivas continuam sendo realizadas em toda a cidade. O trabalho preventivo inclui visitas casa a casa, nebulização e vistorias em pontos estratégicos.

A sua assinatura é fundamental para continuarmos a oferecer informação de qualidade e credibilidade. Apoie o jornalismo do Jornal Cidade. Clique aqui.

Mais em Dia a Dia:

Saiba como denunciar assédio sexual sofrido no trabalho

Rio Claro vacina contra a Covid a partir das 7h30