O prefeito Du Altimari respondeu a perguntas de jornalistas e ouvintes durante sua participação no programa Jornal da Manhã

Antonio Archangelo

O prefeito Du Altimari respondeu a perguntas de jornalistas e ouvintes durante sua participação no programa Jornal da Manhã
O prefeito Du Altimari respondeu a perguntas de jornalistas e ouvintes durante sua participação no programa Jornal da Manhã

“Por tudo isso, já valeu ser prefeito de Rio Claro”. Com esta declaração otimista, o prefeito Palmínio Altimari Filho, o Du Altimari, comentou ao Grupo JC a expectativa da instalação de um curso de medicina no município. Confira a entrevista do Café JC deste domingo (14).

JC – Como anda o processo para se trazer curso de medicina para Rio Claro?

Altimari – Nós estivemos na terça (2 de dezembro) com alguns prefeitos para conversar com o ministro Paim, da Educação. Fomos lá questionar por que o processo de escolha da instituição teria outra velocidade e ele deu uma luz que aconteceu um problema com a comissão do MEC. Existe uma resistência grande da categoria, mas eu acredito que as faculdades de medicina de Rio Claro e de outras cidades vão sair por causa da presidenta Dilma Rousseff.

JC – Um curso de medicina particular cobra uma mensalidade cara, o programa do Governo Federal prevê bolsas para estudantes carentes?

Altimari – Nós vamos ter quatro faculdades de medicina num eixo de 30 km. Como fica isso? Uma instituição poderá pegar duas cidades? Isso para refletir sobre a demanda e os valores da mensalidade. Porém, o que senti lá e o que o ministro colocou é que dentro das propostas o que vai contar será o número de bolsas que eles vão oferecer. Temos o ProUni e outros meios que darão condições aos filhos dos trabalhadores de participarem e estar se formando. Eu acredito neste modelo que dará espaço aos que se destacam no ensino público, para que possam cursar medicina na cidade.

JC – O senhor vem insistentemente falando de uma revolução com a instalação dos cursos de medicina na nossa região. Por quê?

Altimari – Olha, temos casos práticos de como cidades do interior mudaram com a chegada deste curso, como em Botucatu e Marília, que tiveram faculdades de medicina. Um dos técnicos me falou que a vinda de uma faculdade de medicina vai mudar a cidade. Porque não é só a área de medicina. Todas as faculdades do ramo virão para a cidade, com a de Odontologia.

JC – Mas que tipo de mudança?

Altimari – A hora que vir a faculdade de medicina se instalar, virão os doutores, nossos médicos serão professores, virão os alunos que são de outro padrão, vão morar na cidade, frequentar a cidade. Porém acredito que uma grande transformação acontecerá na região, teremos Rio Claro, Araras, Piracicaba e Limeira oferecendo este curso. Qual região que terá quatro faculdades de medicina? Seremos um polo médico mesmo. Por tudo isso já falei: ser prefeito de Rio Claro valeu a pena!

JC – Mas um curso privado, que visa o lucro, deixará alguma contrapartida à cidade?

Altimari – Quem definirá é o MEC. Mas temos diversas propostas que vieram nos procurar. Por exemplo, a Uniesp que iria fazer um investimento de mais de R$ 120 milhões para construir uma faculdade e um novo hospital. Têm outros que estão fazendo visitas à Santa Casa visando aumentar o número de leitos.

JC – Sabendo destas propostas, qual a sua preferência para escolha de uma instituição que construa um hospital ou invista na ampliação da Santa Casa?

Altimari – Sou meio tradicionalista, vocês sabem disso. Nós temos a Santa Casa de Misericórdia que há mais de 100 anos cuida da saúde da cidade. Se a gente conseguir dar uma injeção de recurso, ânimo e modernidade na Santa Casa, eu vejo que esse, se fosse escolher, seria o melhor caminho. Entre um novo hospital e a Santa Casa, minha opinião seria de reforçar a Santa Casa.

JC – Existe uma pendência de seu Governo em relação às subvenções acordadas para auxiliar o funcionamento da Santa Casa. Existe previsão para realizar os pagamentos atrasados?

Altimari – Já estamos fazendo os acertos com a Santa Casa, já foram feitos, e está se fechando. Até dia 19, vai diminuir muito a diferença, se não conseguir quitar, vamos ficar bem próximos disso.

A sua assinatura é fundamental para continuarmos a oferecer informação de qualidade e credibilidade. Apoie o jornalismo do Jornal Cidade. Clique aqui.

Mais em Notícias: