Mato toma conta de escolas públicas em Rio Claro

130

Adriel Arvolea

A certa distância, mato cobre a E.M. Armando Grisi
A certa distância, mato cobre a E.M. Armando Grisi

Dentro ou fora, o problema é um só: o mato alto nas escolas públicas de Rio Claro. No último dia 5 de fevereiro, no retorno às aulas, o Jornal Cidade noticiou a indignação do pai de um aluno sobre as condições de manutenção da Escola Municipal Hamilton Prado. As crianças passaram por obras inacabadas e, também, matagal até as salas de aula.

Apesar do início do ano letivo há mais de 20 dias, a situação se repete em outras unidades escolares, como na Emei João Rehder Neto, E.M. Armando Grisi e E.E. Chanceler Raul Fernandes. Nesta, o problema atinge, principalmente, o espaço dedicado às atividades físicas, mas afeta outros pontos do prédio, de responsabilidade do Centro Paula Souza.

Área de esportes da E.E. Chanceler Raul Fernandes tomada por mato
Área de esportes da E.E. Chanceler Raul Fernandes tomada por mato

Segundo a munícipe Odete Ribeiro, é preciso providências quanto à situação na unidade. “Além do abandono de parte do prédio, o pior é que do muro para dentro só tem sujeira. A prefeitura bate à nossa porta para ver o que fazemos contra a dengue. Será que já entraram na área abandonada da escola? Tomem providências, pois os pernilongos não nos deixam em paz”, desabafa Odete. Moradores estão preocupados, já que a cidade enfrenta epidemia de dengue e o local pode ter possíveis criadouros do mosquito transmissor da doença.

Terreno da Emei João Rehder Neto, também, tem mato
Terreno da Emei João Rehder Neto, também, tem mato

Na Emei João Rehder Neto há um amplo terreno utilizado para horta, estacionamento e playground. Em parte da área, o mato cresce próximo de onde as crianças brincam durante as atividades escolares. Já, na E.M. Armando Grisi, um terreno ao lado do prédio está com mato alto que encobre a visão sobre a escola, a certa distância.

Responsáveis

A Prefeitura de Rio Claro informa que a equipe de limpeza e manutenção das escolas está fazendo o serviço nas 55 unidades da rede municipal de ensino. “Todas as unidades serão atendidas”, reforça.

A assessoria de comunicação do Centro Paula Souza informa que a aplicação de inseticida nas dependências da Escola Estadual Chanceler Raul Fernandes já começou a ser feita pela prefeitura e será repetida periodicamente, de acordo com informações da administração municipal. Quanto à limpeza do espaço, uma equipe será enviada pelo Centro Paula Souza nos próximos dias para tomar as providências necessárias.

Qual sua opinião? Deixe um comentário: