Rua 6-A é uma das vias públicas mais movimentadas do município de Rio Claro e liga a zona norte com a região central da cidade

Carine Corrêa

Sessão ordinária dessa segunda-feira (13) resultou em seis projetos de lei (PL) de autoria do Executivo adiados, e o de autoria do democrata e presidente da Câmara Municipal de Rio Claro, André Godoy, aprovado. O destaque foi o pedido de retirada do tucano Paulo Guedes de três requerimentos, sendo um deles o que pedia ao prefeito municipal “solicitar à Secretaria de Municipal de Segurança, Defesa Civil e Mobilidade Urbana envidar esforços no sentido de remover a ciclofaixa existente na Rua 6-A, nos bairros Vila Nova e Vila Alemã”.

O requerimento surtiu efeito na sociedade: “Amigos ciclistas, boa noite. Estou passando pra deixar um comunicado muito importante de uma perda de direitos iminentes que os ciclistas estão prestes a sofrer em Rio Claro. Está tramitando na Câmara, com autoria do vereador Paulo Guedes, um projeto que busca retirar a ciclofaixa da Rua 6-A. Quem não se lembra, vou refrescar a memória de todos: antes de haver ciclofaixa, foram registradas algumas mortes de ciclistas no local. Inclusive a morte da ciclista Talita Barros, que morreu atropelada por um ônibus. Após implantação da ciclofaixa, nenhuma morte de ciclista foi registrada mais naquela via. Isso é fato. A implantação de ciclovias e ciclofaixas legitima a presença do ciclista na via pública, e é de suma importância principalmente em sociedades que não respeitam o Código de Trânsito, cujo artigo 29 prevê que o veículo maior deve prezar pela segurança do menor”, argumenta o ciclista Clayton Palomares, da Federação Paulista de Mountain Bike (Fpmtb) alertando aos demais ciclistas via redes sociais.

Retirados

Antes de iniciar a primeira parte da sessão ordinária – o Expediente – o vereador Paulo Guedes (PSDB) ainda solicitou a retirada de outros dois requerimentos: o de nº 715/2017 e o 722/2017. O primeiro diz respeito ao levantamento de moradores que estão alojados em barracos no Jardim São João, em Batovi e no Jardim Guanabara. O segundo é quanto à substituição de lâmpadas no Jd. Palmeiras.

Aprovado

O PL aprovado na sessão, de autoria de André Godoy, denomina de “Professora Lúcia Helena Ferreira Camargo” o prédio cedido para instalação de uma Escola Municipal de Educação Infantil localizada na Rua 11 com a Avenida 32, no Bairro Alto do Santana. Um dos projetos adiados do Executivo diz respeito quanto à constituição do Fórum Permanente de Educação.