Festival homenageia cantora rio-clarense Dalva de Oliveira

229

Adriel Arvolea

Uma rio-clarense humilde que conquistou as plateias do mundo, a partir da década de 30. De voz afinada, ia do contralto ao soprano, foi eleita a Rainha do Rádio. Conhecida como ‘rouxinol do Brasil’, Dalva de Oliveira voou alto e embalou corações com seu romantismo. Cantou na festa de coroação de Elizabeth II, na Inglaterra. Eternizou clássicos da música popular brasileira.

Tanto talento influencia gerações que até hoje rendem-se ao seu brilhantismo. Nascida em 5 de maio de 1917, a cantora será homenageada por seu centenário. No dia 3 de maio, terão início as comemorações do ‘Festival 100 Anos Dalva de Oliveira’, organizado pela Secretaria Municipal de Cultura. Serão quatro dias de evento com participações especiais prestando homenagens à Rainha do Rádio, no Casarão da Cultura.

Adeus

Em 30 de agosto de 1972, Dalva de Oliveira foi vítima de uma hemorragia interna causada por câncer de esôfago. Naquele momento, a artista deixava os palcos. Morria para os holofotes, permanecendo viva com o legado que deixou para a música.

E há quem teve o prazer de conhecer a artista. Na década de 60, a cantora, atriz e seresteira Araci Stein Bonani afirma que a conheceu num show em São Paulo: “Foi coincidência. Estava na capital por outro motivo, soube que ela se apresentaria e quis prestigiá-la. Pude conhecê-la, sendo recebida no camarim. A impressão que tive foi a melhor possível. A imagem de uma mulher educada, doce e simpática, além de muito talentosa”, relembra Araci.

Aos fãs, basta aguardar para vivenciarem as emoções do Festival.

Serviço

Dias e horários: 3/5, às 19h; 4/5, 19h e 21h; 5/5, 20h; e 6/5, 16h e 21h.

Local: Casarão da Cultura – Av. 3, 568, Centro.

Qual sua opinião? Deixe um comentário: