Falta de energia deteriorou 2.600 kg de carne

63

Divulgação

Juninho acompanhou o assunto ao lado de secretários municipais
Juninho acompanhou o assunto ao lado de secretários municipais

Os problemas encontrados pela nova administração municipal no primeiro dia de trabalho foram maiores do que inicialmente imaginados. Falha no fornecimento de energia elétrica teria afetado um lote com mais de 22 mil doses de vacina, conforme divulgado já na segunda-feira (2).

Na tarde dessa quarta-feira (4), pelo mesmo motivo, outra perda foi confirmada: mais de 2.600 quilos de carne da merenda escolar.

Tanto os refrigeradores que guardam as vacinas, quanto a câmara fria que armazena as carnes estão localizados no Núcleo Administrativo Municipal (NAM), local que sofreu a pane de energia. Os refrigeradores têm gerador de energia, mas que também falhou. A câmara fria não dispõe de geradores.

A Vigilância Sanitária e o Serviço de Inspeção Municipal (SIM) foram acionados e constataram que, em razão das mais de 30 horas sem resfriamento, toda carne estava imprópria para consumo. O material, suficiente para dois dias de merenda, foi descartado no aterro sanitário.

A Secretaria Municipal de Educação já está providenciando compra de novos produtos de maneira a não comprometer o atendimento aos estudantes no retorno às aulas em fevereiro. No setor de saúde não houve falta de vacinas, pois as unidades de saúde tinham vacinas em estoque.

Qual sua opinião? Deixe um comentário: