Gyl serviu na Segunda Guerra Mundial

Lucas Calore

O ex-soldado no campo do Velo Clube
O ex-soldado no campo do Velo Clube

Faleceu na tarde de quinta-feira (31) o senhor Gyl Taveiro Loubo, aos 94 anos. Ele morava em Rio Claro, no bairro Bela Vista, desde 1967. O ex-soldado foi velado e sepultado no Cemitério Parque das Palmeiras. Ele deixou a viúva Edna Natalina Sernaglia Loubo, os filhos Carlos Alberto, Marcos Antonio, Jorge Luiz, Rosemary e os falecidos Carlos Ricardo, Carlos Roberto e Antonio, além de 12 netos e cinco bisnetos.

Aos 94 anos de idade, Gyl Taveiro Loubo faleceu em Rio Claro, onde viveu por décadas
Aos 94 anos de idade, Gyl Taveiro Loubo faleceu em Rio Claro, onde viveu por décadas

Combatente

De acordo com relato do seu filho, Carlos Alberto, em 1943, Taveiro Loubo, aos 22 anos, era mecânico de uma empresa de terraplanagem em Itaperuna, cidade do Rio de Janeiro, e recebeu um telegrama do Exército para comparecer à Praça Mauá, no Centro da capital. Lá, foi informado de que estava convocado para uma missão com o Exército brasileiro na Itália. Em menos de uma semana e após conversar com seus pais, se apresentou no quartel e, durante cerca de seis meses, recebeu junto ao batalhão longos treinamentos em Três Rios, interior do estado.

Após três alarmes falsos, pela quarta vez finalmente chegou o dia da FEB – Força Expedicionária Brasileira partir. A população os saudou a caminho do porto para pegar o navio para a Europa.  “Foram 45 dias de viagem para chegar à Itália, onde as temperaturas eram abaixo de zero. Lá, foram muito bem recebidos pelos italianos”, conta o filho.

Gyl serviu na Segunda Guerra Mundial
Gyl serviu na Segunda Guerra Mundial

2ª Guerra Mundial

Em novembro de 1944 iniciava-se a batalha da FEB, junto às forças aliadas, no combate ao nazi-fascismo na Europa. Somente em 21 de fevereiro de 1945 ela terminaria, com a tomada de Monte Castelo, na Itália. A missão dos “pracinhas” era tirar Monte Castelo do controle da Alemanha, pois ele representava uma posição estratégica, já que se encontrava no caminho para Bolonha, cidade que representaria uma importante conquista para as forças aliadas. A tomada do Monte Castelo tornou-se a mais importante conquista da Força Expedicionária Brasileira.

Rio Claro

Ao retornar ao Brasil, voltou a trabalhar na empresa de antes. Em 1949 recebeu um diploma do governo brasileiro por sua participação na operação. Foi para São José do Rio Pardo para um serviço, onde conheceu a esposa. Depois se mudaram para Rio Claro e viveram juntos por 68 anos. “Ele não gostava muito de falar sobre a guerra. Preferia falar da sua paixão pelo Vasco da Gama e pelo Velo Clube de Rio Claro”, conta seu filho Carlos Alberto.

A sua assinatura é fundamental para continuarmos a oferecer informação de qualidade e credibilidade. Apoie o jornalismo do Jornal Cidade. Clique aqui.

Mais em Notícias:

Mais trechos da Rua Jacutinga são recapeados

Rio Claro vacina contra a Covid na 3ª-f a partir das 7h30