Geraldo Alckimin durante inauguração de unidade produtora de etanol (Foto: Daniel Guimarães/A2 Fotografia)

Antonio Archangelo/Coluna PolítiKa

Quem pensa que a sucessão municipal é assunto exclusivo de rio-clarenses pode se surpreender com a afirmação do governador Geraldo Alckmin (PSDB), de que “está acompanhando” a movimentação no município.

O governador conversou rapidamente com a coluna, antes de deixar o evento de inauguração da Raízen, em Piracicaba, na tarde dessa quarta-feira (22). E comentou que anda acompanhando a formação do cenário eleitoral.

Geraldo Alckimin durante inauguração de unidade produtora de etanol (Foto: Daniel Guimarães/A2 Fotografia)
Geraldo Alckimin durante inauguração de unidade produtora de etanol (Foto: Daniel Guimarães/A2 Fotografia)

Os prefeituráveis são peça-chave na estratégia de Alckmin em relação a sua possível candidatura a presidente, na qual enfrentará, internamente, Aécio Neves, candidato declarado do PSDB.

>>> Eleições 2016: a corrida segue nos bastidores da política

Para isso, Alckmin já conseguiu, por exemplo, manter peças-chave na Executiva Nacional, como o secretário-geral, deputado Sílvio Torres (PSDB/SP), e o vogal Andrea Matarazzo (vereador de São Paulo) e, de certa forma, amenizar a oposição na composição do Diretório Estadual. Neste caso, além de eleger o deputado estadual Pedro Tobias (PSDB) – homem de sua confiança – como presidente estadual, também diluiu o potencial ofensivo de um racha na legenda, ao oferecer espaço no diretório ao ex-secretário do José Serra, Evandro Losacco, que até antes da eleição, realizada no dia 14 de junho, era o único candidato publicamente colocado para disputar a presidência da sigla.

>>> Dilma Rousseff inaugura usina em Piracicaba; vídeo

Os tucanos comandam hoje 177 dos 645 municípios paulistas. A meta, segundo o ex-presidente Duarte Nogueira, é conquistar 200 prefeituras para encorpar a candidatura do governador.

Além do interior, o foco central, porém, é a disputa pela capital. Os tucanos avaliam que o petista Fernando Haddad tem poucas chances de se reeleger, porém o grupo de Alckmin enfrenta resistência com o atual comando do PSDB na capital. Lá, o diretório municipal é comandado pelo vereador Mario Covas Neto, o Zuzinha, filho do falecido governador Mário Covas, que foi eleito no dia 31 de maio.

A sua assinatura é fundamental para continuarmos a oferecer informação de qualidade e credibilidade. Apoie o jornalismo do Jornal Cidade. Clique aqui.

Mais em Notícias: