Na noite de domingo (20), além da ocorrência de danos contra o patrimônio na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da 29, a Guarda Civil registrou tumulto envolvendo um casal que, também, se revoltou contra o serviço médico prestado.

A paciente teria ofendido uma técnica de enfermagem com palavrões. O companheiro da acusada ameaçou a profissional de morte e disse que iria buscar uma arma de fogo para matá-la, bem como os demais servidores da unidade.

Secretaria Municipal da Saúde

Em nota, a Secretaria Municipal de Saúde lamenta o ocorrido e destaca que foi feita ocorrência relatando a ameaça. “Os atendimentos nos serviços municipais de saúde seguem protocolos clínicos e, ainda mais neste momento, os funcionários têm se desdobrado para conseguir oferecer o melhor atendimento à população”, esclarece.

A sua assinatura é fundamental para continuarmos a oferecer informação de qualidade e credibilidade. Apoie o jornalismo do Jornal Cidade. Clique aqui.

Mais em Dia a Dia:

A realidade é dura