Casa de costureira pode cair a qualquer momento no Cervezão

135

Lucas Calore

Dolores Damm, de 79 anos, costureira a vida toda, está passando por uma situação no mínimo difícil para alguém com essa idade. Sua casa, na Avenida M-21, no Cervezão, está desmoronando. O motivo é por conta do terreno vizinho, que concentra um depósito de materiais para construção.

Na divisa dos terrenos, quando assentado o solo, não foi feito um muro de arrimo. O resultado? A parede da oficina de costura da senhora Dolores está sendo pressionada e pode cair a qualquer momento. A Defesa Civil interditou o espaço.

Casa de costureira de 79 anos pode desabar a qualquer momento. Uma vizinha também está com problemas estruturais na residência
Casa de costureira de 79 anos pode desabar a qualquer momento. Uma vizinha também está com problemas estruturais na residência

Processo

As tentativas amigáveis de conversar com os donos do terreno ao lado foram em vão. A família de Dolores entrou na Justiça e espera por uma decisão há um ano e meio. “Quando abriram a porta e vi como estava a situação, me partiu o coração”, disse Dolores. Uma avaliação médica da costureira será acrescentada ao processo.

Esperança

Dona Dolores aguarda que tudo seja resolvido e sua vida volte ao normal. De acordo com seu filho, Ezequiel Damm, não basta apenas consertar as paredes da área da casa da família, mas sim toda a parte do terreno que faz divisa com o imóvel. “Quanto mais demora, mais corremos o risco de acontecer algo aqui dentro”, lamenta Ezequiel.

Trabalho

Dolores tem a oficina no quintal há pelo menos 35 anos. Após os problemas na estrutura, que vão desde rachaduras até o desnível do chão, as máquinas de costura foram realocadas para a cozinha e quarto da casa. A mudança na rotina e o medo mexeram com a sua saúde.

Prefeitura

Questionada pela reportagem do JC se o caso está sendo acompanhado pela administração municipal, se a empresa que se instalou ao lado da casa tinha autorização para realizar obras e se há alguma assistência sendo dada à família em questão, a Prefeitura de Rio Claro se limitou a informar que a Secretaria de Obras fará vistoria na edificação para emitir parecer sobre a situação.

Qual sua opinião? Deixe um comentário: