Amigos e familiares prestaram nesta quarta-feira (27) as últimas homenagens ao cenógrafo, figurinista, ator, arte educador e artista plástico Carlos Eduardo Colabone, que morreu aos 60 anos.

Nascido em Rio Claro, Colabone “revolucionou” o teatro local com peças encenadas enquanto era aluno da escola Batista Leme. Aos 18 anos, foi para São Paulo, onde cursou Artes Plásticas na Faap. A partir daí, desenvolveu uma sólida carreira no teatro brasileiro, deixando sua assinatura em espetáculos de grande sucesso de público e de crítica. No final do ano passado, voltou aos palcos para atuar ao lado de Clóvis Gonçalves na peça Reflexo Guimarães.

Colabone deixa os irmãos Regina, Aldo e Marta, a sobrinha Giovanna e a sobrinha-neta Catarina. Deixa ainda o companheiro, Alex. Seu corpo foi trazido para Rio Claro, onde aconteceu o sepultamento na manhã desta quarta-feira. A família não informou a causa da morte.