Antigo prédio da Cesp vai a leilão dia 18 de novembro

152

Antonio Archangelo

Prédio da antiga Cesp, localizado no cruzamento da Rua 4 com a Avenida 4, centro de Rio Claro, está abandonado há anos
Prédio da antiga Cesp, localizado no cruzamento da Rua 4 com a Avenida 4, centro de Rio Claro, está abandonado há anos

O governador Geraldo Alckmin (PSDB) autorizou, no dia 20 de junho deste ano, a alienação do antigo escritório da Cesp, localizado na Rua 4, 1.252, região central de Rio Claro. O local, que já foi cogitado para receber parte da estrutura da Fundação de Saúde, além da sede do 37º Batalhão da Polícia Militar e até mesmo sede da Câmara Municipal, está abandonado a há vários anos. A medida foi aprovada pelo secretario estadual de Energia e do Conselho de Patrimônio Imobiliário do Estado.

O terreno entre as avenidas 2 e 4, com área de 2.058,27 e de 1.675,29 metros quadrados, matriculado no 3º Oficial de Registro de Imóveis de Rio Claro, irá a leilão no dia 18 de novembro, em São Paulo, e terá lance mínimo de R$ 2.645.000,00, podendo ser pago à vista ou com entrada de 20% e saldo em 24 vezes corrigidas pelo IPC.

De acordo com o advogado Leopoldo Dalla Costa de Godoy Lima, “a alienação do imóvel pertencente à Companhia Energética de São Paulo foi devidamente autorizada por ato do governador do Estado de São Paulo (SEE 58.571/14), tratando-se, portanto, de uma aquisição segura e justa para os investidores imobiliários, assim como para o Estado, pois o procedimento licitatório assegura a igualdade de condições a todos os concorrentes, com cláusulas estabelecendo as obrigações de pagamento e as penalidades do inadimplemento, tudo em conformidade com o artigo 37, inciso XXI da Constituição Federal”, disse ao Jornal Cidade.

TERMO DE POSSE À CÂMARA

No dia 19 de setembro de 2011, em solenidade realizada no plenário da Câmara Municipal, o engenheiro Edson Onishi, representante da Cesp, entregou ao então presidente do Legislativo, Valdir Andreeta (PTB), a autorização para a Câmara Municipal ocupar, por tempo indeterminado, o imóvel, fato que nunca foi concretizado. O antigo prédio da Cesp foi desocupado em 1996. “Esse é um momento histórico para o Poder Legislativo de Rio Claro e para mim, que tive meu primeiro emprego na CESP, onde trabalhei por 18 anos”, disse na oportunidade o deputado Aldo Demarchi (DEM), um dos responsáveis pelas negociações com o presidente da empresa, Mauro Arce, e com o secretário de Energia, José Aníbal, para que a Câmara conseguisse a permissão de uso do edifício, construído no início do século XX a partir de um projeto do arquiteto Ramos de Azevedo.

Na cerimônia inócua, além do deputado, do presidente da Câmara, Valdir Andreeta, e de vereadores, participaram do evento o prefeito Du Altimari, a vice-prefeita Olga Salomão e ex-funcionários da geradora de energia. Também foi lembrado, na ocasião, o advogado, empresário e político Eloy Chaves (1875-1964), principal acionista da S/A Central Elétrica de Rio Claro, que deu origem à Cesp e considerado precursor da Previdência Social no Brasil, ao criar, em 1923, quando era deputado federal, as caixas de aposentadorias e pensões dos ferroviários. “Nada mais justo que, após as devidas adaptações e reformas, as novas instalações da Câmara Municipal recebam o nome de Eloy Chaves”, sugeriu Aldo Demarchi na cerimônia.

1 COMENTÁRIO

Qual sua opinião? Deixe um comentário: