Município completa nesta terça-feira (21) 125 anos. JC pega a estrada para conhecer um mestre cervejeiro que, após anos de estudo, criou a ‘Coral’ – a cerveja da Cidade Fotográfica

Que Analândia é cheia de belezas, delícias e potencial turístico não é segredo para ninguém. Os sabores da cidade, que fica a 35 km de Rio Claro, chegam a várias partes do país, porque são especiais e, junto com a paisagem, formam alguns dos grandes atrativos do interior paulista.

A gastronomia típica, que utiliza ingredientes locais e receitas tradicionais, atrai turistas em todas as estações do ano. Quem passa por aqui fica maravilhado com o turismo gastronômico, que proporciona degustações e aprendizados sobre o processo de produção das iguarias da terra.

Uma variedade de produtos de alta qualidade é cultivada aqui, como já mostramos em outras edições. Nesta reportagem especial, em comemoração aos 125 anos da cidade, vamos conhecer a produção totalmente artesanal de uma cerveja, que vem conquistando muita gente.

Quem diria que um festival de cerveja seria o divisor de águas na vida do gerente comercial de uma multinacional, Luiz Filipe Guerreiro, de 35 anos. Há dois anos, ele foi convidado a participar, como expositor, do primeiro Festival de Cerveja Artesanal de Analândia, evento organizado pelo Vitor Ferreira, na antiga Choperia João Bebeu, que hoje dá lugar à Pizzaria Di Maria.

Na época, Guerreiro tinha como hobby a produção de cerveja em casa, apenas para consumo próprio. Com o convite, ele viu a necessidade da criação de uma marca, já que nesse evento, estariam ao lado de cervejarias já conhecidas, consolidadas e respeitadas no mercado. 

“Fizemos todo o planejamento para lançar a Coral e deu tudo certo. O lançamento da marca aconteceu no dia do evento. A partir daí, a cerveja ficou conhecida e passamos a receber mensagens de pessoas que queriam adquirir os produtos. Com isso, o próximo passo foi profissionalizar a Coral, registrando as cervejas no Ministério da Agricultura, aumentando nossa capacidade de produção e abrindo um CNPJ”, explica.

O mestre cervejeiro conta que, ao todo, a marca possui dez receitas desenvolvidas e catalogadas. No entanto, os dois estilos que possuem registro são a Blonde Ale  e a IPA, ou seja, esses são os tipos de Coral que são autorizados a circular em pontos comerciais.

A Blonde, segundo Guerreiro, é o estilo mais vendido. Pelo fato da receita ter sido inspirada na escola belga, é uma cerveja de alta fermentação, muito intensa, complexa, porém, ao mesmo tempo, versátil.

“Tem um sabor frutado bem evidente, o IBU dela é baixo, ou seja, quase não tem amargor e o teor alcoólico é 5,3%. Pode ir nela sem qualquer risco de erro. Com certeza vai agradar todos os paladares, até mesmo daqueles que não têm o hábito de consumir cerveja artesanal”, explica.

Já a IPA da Coral é uma clássica American IPA, ou seja, foi inspirada na escola americana. Também é uma cerveja de alta fermentação, mas com uma carga de lúpulo bem alta. Por isso, tem amargor elevado. No entanto, para o mestre cervejeiro, ela é perfeitamente equilibrada com o corpo e o teor alcoólico é de 6,3%. 

“É um estilo que traz características florais e cítricas por conta da combinação de três tipos de lúpulos americanos. Para quem já é apreciador de uma boa IPA, ela é completa! Uma verdadeira pancada!”, brinca.

Como a Coral é produzida

O processo de produção de cerveja em geral é fascinante, como constatou o JC na própria fábrica. Ele consiste em várias etapas, que são moagem do malte, parte quente, parte fria, e envolve muitos processos químicos naturais. 

A produção de um lote de Coral dura em torno de 30 dias contando com o tempo de fermentação e maturação. De maneira simples e resumida, a primeira etapa é fazer a mosturação, que é o aquecimento do malte em água em temperatura controlada. Esse processo vai permitir a conversão do amido e do malte em açúcares fermentáveis. Com isso, é obtido o mosto, que é o líquido rico em açúcares do malte.

A segunda etapa consiste na filtragem e fervura do mosto. Durante o processo, são feitas as adições dos lúpulos, sempre em tempos e quantidades controladas para atingir os níveis de amargor, sabor e aromas desejados. Os tempos de adição e quantidades variam em cada receita/estilo.

A terceira etapa consiste no resfriamento do mosto e transferência para o tanque de fermentação, onde é adicionada a levedura, e é no tanque de fermentação que ocorre a transformação do mosto em cerveja. Nesse processo as leveduras vão consumir o açúcar do mosto e transformá-lo em álcool e CO2.

A quarta e última etapa é o processo de envase, que basicamente consiste em transferir a cerveja para as garrafas. Apesar de parecer simples, é uma etapa tão trabalhosa quanto as anteriores, pois inclui a sanitização de todas as partes da embalagem que terão contato com a cerveja,  transferência para a máquina de envase, rotulagem e arrolhamento das garrafas. E isso tudo é feito manualmente.

Primeiro ano positivo

Em 2021, primeiro ano de produção na fábrica, o cervejeiro produziu aproximadamente 8.400 litros, uma média de 700 litros de bebida por mês, que foram distribuídos e vendidos tanto na cidade, como na região. 

“Temos nosso público fiel na cidade de Analândia, ao qual somos muito gratos e que sempre nos apoia muito, não só consumindo cerveja, mas também nas divulgações da marca e reconhecimento do nosso trabalho.”

Um movimento interessante que o empresário tem percebido entre os turistas, é que a cerveja tem sido consumida também como um souvenir da cidade. Por exemplo: a pessoa vem para Analândia, conhece a cerveja e leva algumas garrafas, kits e copos para presentear familiares e amigos. Isso se deve ao fato de toda a comunicação visual da marca fazer menção à cidade.

“A Coral Cervejas Especiais LTDA é uma empresa analandense e fazemos questão de fazer menção à cidade, não só em nossos rótulos, mas em toda comunicação de redes sociais, pontos de venda, uniformes de eventos e etc. Temos orgulho de levar o nome de Analândia, isso está no DNA da Coral e continuará sendo assim independente do lugar que estejamos”, complementa Guerreiro.

É possível encontrar a Coral em diversos pontos comerciais e turísticos de Analândia e também pelo Instagram, Facebook e Tik Tok: @coralcervejas. Já você, comerciante de Rio Claro e região que pretende ter a cerveja da Cidade Fotográfica no seu estabelecimento, pode entrar em contato pelo telefone que também é Whatsapp: (19) 99859-6826 e falar com o Guerreiro, o proprietário.

A sua assinatura é fundamental para continuarmos a oferecer informação de qualidade e credibilidade. Apoie o jornalismo do Jornal Cidade. Clique aqui.

Mais em Notícias:

Pílula lançada no Reino Unido promete evitar ressaca

Vila Nova recebe serviços de tapa-buracos

Prefeitura faz limpeza e corte de mato na Av. Ulysses