VÍDEO: Diagnósticos e atendimentos geram reclamações na UPA do Cervezão

2989

As atenções na manhã desta quinta-feira (15) estavam voltadas para a Upa da Avenida 29 após a morte do menino Marcelo Adiel Filho, o terceiro a vir a óbito no local em 3 meses e o segunda criança em menos de uma semana. A acusação de negligência médica por parte das famílias das vítimas fez com que a Fundação de Saúde anunciasse mudanças no comando da unidade e a troca de boa parte dos funcionários de vários setores.

Porém do outro lado da cidade, na UPA do bairro Cervezão a população também não estava contente com o atendimento. A reportagem do Jornal Cidade foi chamada no local diante da espera de muitos pais por mais de 3 horas para uma consulta dos filhos com a pediatra. Porém esta não foi a única reclamação registrada na Unidade.

Confira no vídeo

No edição impressa do Jornal Cidade desta sexta-feira (16) você confere na íntegra a nota da Fundação Municipal de Saúde sobre a situação vivida pela população na manhã desta quinta-feira (15) na UPA do Cervezão.

2 COMENTÁRIOS

  1. Na minha opinião não adianta trocar funcionários, tem que mudar o secretário da saúde.
    Adora dar entrevista aparecer na televisão e rádio, mais na hora que as coisas ficam feias joga as responsabilidade prós outros.
    Chega de incompetência Sr. Secretário da Saúde.
    Pede pra sair

  2. Quanto a UPA do Chervezom por um triz não matou meu filho vou contar a historia é longa mais fica o alerta para os pais, uma semana antes do dai 05 de fevereiro meu filho de 21 anos e 90 quilos começou com diarreia vomito e febre fui umas 03 vezes na UPA do Chervezon diagnostico virose soro,buscopam,dipirona na veia , um exame de sangue e urina embora pra casa, no sabado dia 04 /02 meu filho levanto mancando perguntei ele disse acho que a senho tá errada quando deu 13:00hs meu filho um homem não andava mais sozinho com ajuda e muita dificuldade mais algumas hora e as mão tambem não mexiam mais levei no domingo dia 05/02 apos as 12:00hs meu filho na cadeira de rodas pressão alta o individuo que nos atendeu que por educação chamamos de médico nos chamou qd ele viu um cadeirante ele solto a porta que bateu na nossa cara fiquei assustada as pessoas que estavam lá me ajudaram eu não conseguia entrar no consultório com a cadeira precisei de ajuda dos paciente ele olhando na minha cara que transparecia a raiva que ele estava sentindo ou para meu filho ele não anda porque tá na cadeira de rodas fui explicar e ele falou se meu filho não falava, bom resumindo a educação do Dr.ele disse a senhora consegue por ele na maca imagine voceis ele receitou soro e alguns exames perguntei não vai internar ele responder só porque não está andando essa foi a resposta segunda vem pegar os exames a UPA tava um reboliço falam que os exames não deram certo teria que fazer novamente a Dra. Ingrid e sua equipe muito boa por sinal não sei se devido a situação ou é sempre assim , quero acreditar no ser humano ainda meu filho havia pego a SÍNDROME DE GIULLIAN BARRE, não morreu por que JESUS não permitiu os médicos dos médicos colocou Dr. Renato Natalino Romera neurologista nessa falta de responsabilidade de um profissional incompetente o mal atendimento sai caro para o Município cinco dias de CTI sete fracos diários de hemoglobina humana e o nosso psicológico quando o Dr. Renato disse é gravíssimo até hoje quando lembro acabo entrando em desespero meu filho tá vivo mais ficaram sequelas que só Deus e o tempo dirá. fica aqui meu alerta

DEIXE UMA RESPOSTA